Resenha #100 "Divergente" - Veronica Roth - Editora Rocco


Título: Divergente
Autor (a): Veronica Roth
Editora: Rocco
ISBN: 9788579801310
Ano: 2012
Páginas: 502


Sinopse: Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.
E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.


"Trabalhando juntas, as cinco facções têm vivido em paz há anos, cada uma contribuindo com um diferente setor da sociedade. A Abnegação supriu nossa demanda por líderes altruístas no governo; a Franqueza providenciou líderes confiáveis e seguros no setor judiciário; a Erudição nos ofereceu professores e pesquisadores inteligentes; a Amizade nos deu conselheiros e zeladores compreensivos; e a Audácia se encarrega de nossa proteção contra ameaças tanto internas quanto externas."



Divergente estava em minha meta de leitura para esse ano. E apesar da resenha só sair agora, eu consegui ler a trilogia antes do lançamento do filme. Eu demorei em me recuperar da ressaca literária que me abateu após ler a trilogia, e acredito que por conta de ter gostado tanto da leitura, fiquei meio travada na hora de resenhar os livros, porém, antes tarde do que nunca. E aqui estou eu, dividindo com vocês minha opinião sobre essa distopia.

Já faz um tempo que me encantei com o gênero distopia, e quando isso acontece comigo sempre saio comprando tudo que vejo pela frente. Foi assim, e claro, depois de ler algumas resenhas e conversar com algumas pessoas, que Divergente chegou à minha estante em dezembro do ano passado. O único arrependimento que tive ao ler Divergente foi de não ter lido antes.

A história se passa em uma Chicago pós-guerra, que dividiu a sociedade em cinco facções: Abnegação, Erudição, Amizade, Franqueza e Audácia. Beatrice Prior, nossa protagonista, tem 16 anos, nasceu e cresceu na Abnegação. Sua facção tem por compromisso priorizar a ajuda ao próximo, Beatrice mesmo tendo sido criada com os princípios da Abnegação se sente meio perdida, sem ter certeza do seu lugar no mundo. Suas dúvidas se intensificam com a proximidade da Cerimônia da Escolha, onde todos jovens na mesma faixa etária de Beatrice precisam tomar a maior decisão de suas vidas, escolher uma facção.

"Facção antes do sangue". Por essa frase já temos uma ideia do quão importante é essa escolha, sua família passa a ser menos importante que sua facção. Para ajudar os jovens em sua decisão, eles são submetidos a um teste de aptidão, esse teste dirá a qual facção a pessoa deva pertencer. Porém o teste de Beatrice é inconclusivo, isso significa que ela é Divergente.

Ser Divergente é como ter um defeito. Em uma sociedade que prioriza a "padronização", ser diferente pode ser perigoso. Beatrice é instruída a não comentar com ninguém, nem mesmo com sua família, sobre o resultado dos seus testes, mesmo sem entender o que na realidade o que significa ser divergente ela esconde esse fato de todos. O teste que deveria ajudar Beatrice a tomar a decisão sobre qual facção escolher, só serviu para deixa-la com mais dúvidas. Abnegação, Erudição e Audácia esse é o resultado de seu teste, entre essas facções é que Beatrice irá depositar seus anseios e seu futuro.

"Prendo a respiração enquanto ele gira a última faca em sua mão. Vejo um brilho em seus olhos quando ele joga o braço para trás e solta a faca. Ela voa, certeira, em minha direção, girando no ar. Meu corpo endurece. Desta vez, quando ela finca na madeira, minha orelha arde e sinto o sangue em minha pele. Levo a mão à orelha. Ele me cortou."

A trama começa com uma Beatriz apática, sem determinação, com fortes traços de sua criação na facção da abnegação impregnados em sua personalidade. Porém com o desenrolar da história ela começa a amadurecer, suas escolhas tendem a moldar sua personalidade, tornando-a uma personagem forte e persistente. Em sua nova facção, Triz como agora é conhecida, se supera para passar pela fase de iniciação, ela é observada e avaliada por seus instrutores, e caso não consiga uma boa pontuação, ela pode ser banida da facção e virar uma "sem-facção", e estará condenada a uma vida de privações, dependendo da boa vontade das pessoas da Abnegação e vivendo à margem da sociedade.

Imagine você estar fadado a uma escolha. A natureza humana é muito complexa para ser limitada em um  só aspecto da personalidade. Ser altruísta, honesto, gentil, justo e corajoso, faz parte dessa natureza. A sociedade em Divergente baseia-se no "padrão" como fonte de controle. Para a Erudição, os divergentes são uma ameaça ao sistema das facções, pois eles não podem ser controlados. E claro, ameaçam os planos da Erudição que acredita que deveria ser a facção governante e não a Abnegação. Essa facção trava uma verdadeira "cruzada" contra os divergentes.

Triz não é uma personagem cheia de mimimi, ela tem seus princípios, e sente orgulho de lutar por eles. Sem papas na língua, Triz fala o que pensa. E durante o processo de iniciação ela ganha o respeito de seus amigos, como também acumula desafetos. Uma personagem fácil de gostar, e mesmo cercada por personagens secundários muito bem escritos e também cativantes, ela não precisa de muito esforço para se destacar.

E por falar de personagens secundários, o que seria essa resenha sem a presença de Four, ou Quatro, como queira. Instrutor dos iniciados não nascidos na Audácia, ele tem uma personalidade forte, é rígido, porém justo, tem uma opinião bem clara do significado de "coragem", é enigmático, meio perturbado, perfeito, intenso e apesar da pouca idade já foi convidado a ser um dos lideres da facção, atribuição essa que ele declinou. Four não chega a ser um personagem secundário, ele é parte do todo, e um personagem importante e único.




Veronica Roth conseguiu criar um universo único, futurístico e high-tech. O livro nos faz questionar sobre tudo o tempo todo. O que há depois da cerca, porque ela é fechada pelo lado de fora e não pelo lado de dentro? Acho que não falei isso antes, mas a cidade de Chicago foi cercada por uma muralha e ninguém tem acesso ao que existe do lado de fora. Existe também a tecnologia dos soros, cada facção é responsável por um soro, e eles são capazes de tudo, até mesmo de induzir as pessoas a terem uma espécie de alucinação e perder os controles das próprias ações.

O livro é narrado na visão de Tris e com isso temos acesso aos seus pensamentos mais profundos, seus medos e anseios. Conhecemos as facções e a sociedade através de seus olhos, mergulhamos em um romance singelo, algo que gostei muito no livro, existe romance, mas ele não é o foco da trama, ele está presente e serve para que nossos personagens tenham algo além do altruísmo por que lutar. Dizer que Tris e Four são personagens sem defeitos, seria no mínimo, uma afronta com os personagens, afinal para ser humano e verdadeiro, o personagem precisa ter defeitos.

Uma narrativa rápida, uma história envolvente, capaz de nos manter presos nas páginas do livro por horas e horas. O livro está longe de ser monótono, ele é instigante. Outro ponto positivo, é que não existe um triangulo amoroso. Não que eu tenha nada contra, é que existem muitos livros com triângulos amorosos, e isso acaba cansando um pouco. Todos os personagens tem algo a dizer e contribuem para o desenvolvimento da história.

Divergente foi sem dúvida um dos melhores livros lidos por mim esse ano, eu ri, eu me desesperei, fiquei nervosa, revoltada, me apaixonei pelo Four, devorei o livro, amei, amei, amei. Veronica Roth ganhou com toda certeza uma admiradora, e eu nem preciso dizer que mais que indico a leitura.
  
"A razão humana é capaz de justificar qualquer mal, é por isso que não devemos depender dela."




33 comentários:

  1. A narrativa me fez lembrar de Jogos Vorazes. Mas ainda quero ler os livros pra descobrir mais sobre eles.
    :D

    ooutroladodaraposa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Taí, um livro que comecei a ver este ano, e que aos poucos conquistou meu coração.
    Patty, eu li acho que uma 2 resenhas dele e estou gostando cada vez mais, tanto que já entrou pra minha lista.....
    Han, a garota de um outro livro conhecido como protagonista do filme, vou ter que ver divergente 1º para desligá-la dos papeis e dar o devido valor da história (sinceramente não gosto muito quando fazem isso, perde meio que o encanto), enfim, o importante é que o livro ganhou meu coração, só não sei quando terei a oportunidade de lê-lo....

    Bjsss Patty

    ResponderExcluir
  3. Oi Paty! Eu quero muito ler esse livro! Ainda nem assisti ao filme, só para poder ler primeiro! Me sinto super excluída por não ter feiro ainda a leitura! rsrsrs

    Beijinhos
    Mirelle - meumundoemtonspasteis.com

    ResponderExcluir
  4. Essa trilogia está na minha lista há tempos. Não andava tão empolgada assim com ele, mas agora eu estou. Quero lê-lo!

    The Lord of Thrones

    ResponderExcluir
  5. Adorei ler essa trilogia. O livro Divergente é o meu preferido. A escrita da Verônica é tão envolvente que eu não conseguia parar de ler. Adorei os personagens, principalmente o Quatro.

    ResponderExcluir
  6. Eu li todos os livros da serie em e-book e me apaixonei pela historia. Tbm sou uma viciada em distopias e sempre estou querendo conhecer algo novo do genero. Bem, Divergente é um livro muito interessante e que apesar da complexidade nao parece estar tao distante do que acontece hoje ou que podera acontecer futuramente. O governo e as pessoas sempre esperam nos colocar dentro de um certo tipo de classificacao e regras baseadas nisso. Sempre esperam que hajamos de uma certa maneira.
    Eu amei a serie. Espero ver as proximas resenhas por aqui logo. Amei!

    ResponderExcluir
  7. Oii
    Eu confesso que nunca tive vontade de ler os livros. Mas de fato deve ser ótimo como todos falam.
    É normal ter dificuldade em resenhar um livro que gostamos tanto. Que bom que o livro foi além de suas expectativas.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Divergent é a melhor distopia que eu li até agora, sou apaixonada por essa saga, em breve quero ler Convergent e pelo que eu andei sabendo, vou chorar pra caramba.
    beijos.
    http://www.vicioempaginas.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oiee ^^
    Essa é uma das minhas séries favoritas, mas não consigo olhar para os atores sem lembrar que o filme é horrível *-* prefiro a Shailene como Hazel. Esse é um dos melhores livros que eu já li ♥
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. OOOOOOOOI, Patty, boa tarde! Como está? Espero que bem! ♥ Nossa, essa é sua centésima resenha? Parabéeeeeeeeeeeens, viu? Hahaha! Hm, acho que sou da Franqueza, hahaha! Olha, ainda não li nenhum livro da série, justamente por falta de tempo. Eu adoro livros futurísticos e pelo que pude ler pela sua resenha, e pelo que você mesma disse no décimo parágrafo, este é um livro bem high-tech, hahaha! Adoro, <3 A história em si é meio confusa pra mim, não sei o por quê, uashuhasaush! Mas é bem interessante! Sério que é um dos melhores livros que você já leu? Poxa vida, parece ser mesmo bom! Hahaha! :33

    Um enoooooorme e grande beijo,

    Juu-Chan || Nescau com Nutella

    ResponderExcluir
  11. Oi flor!

    Super te entendo, é muito complicado resenhar um livro que amamos tanto. Você leu a trilogia toda de uma vez? No fim de Convergente eu fiquei com uma ressaca sinistra também! E ainda não escrevi a resenha desse último, já tentei escrever e não sai nada decente!

    Adoro a Tris, ela realmente é uma personagem incrível, mesmo nas vezes em que eu fiquei com raiva de suas escolhas, até com um certo ódio; não deixei de amá-la. Como Tris e Quatro não tem defeitos? Claro que tem, o que faz deles tão incríveis, concordo com você!

    Beijos
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Patty, também li divergente esse ano e ele me conquistou muito! Concordo com suas opiniões sobre a abordagem da natureza humana, da evolução de Tris, do romance singelo... Eu pretendo ler os outros dois livros esse mês. Estou com medo da ressaca, Divergente já me deixou desnorteada imagina quando chegar ao fim? Adorei a resenha, muito bem expressada e construída, sei que isso é muito difícil quando gostamos do livro. Depois da uma conferida na minha resenha. ;)

    Dani
    A Thousand Lifetimes

    ResponderExcluir
  13. Oi Patty!
    Eu não li Divergente, mas assisti o filme e gostei bastante, ainda quero ler, até porque provavelmente vou gostar ainda mais do livro... Adorei a sua resenha, me deixou ainda mais curiosa sobre a leitura!
    Eu também virei fã de distopias e essa parece ser uma leitura obrigatória kkk
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Confesso que demorei deeeemais pra poder adquirir esse livro e ler...ainda não vi o filme...fiquei protelando por achar meio que parecido com Jogos Vorazes (que não gostei) apesar de muita gente dizer que não tem nada a ver com JV..vamos ver né ^^

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/livroaoavesso

    ResponderExcluir
  15. Não podia ter lido essa resenha, me deu uma dor no coração! Já li a trilogia toda e é uma das minhas favoritas, concordo com praticamente tudo o que disse. A Verônica é uma escritora autêntica e com um talento enorme. Divergente é um dos meus favoritos dos três, só perde para Insurgente (o final dele é arrepiante, você quer mais na hora). Tris é tão corajosa e só nos dá orgulho quando se trata de fazer justiça, os defeitos existem em todos eles, mas como você disse, é o que os torna humanos e tem toda razão. Não existe perfeição na vida real e a literatura tem que ser um retrato dela, mesmo que melhorada. Não tenho o que dizer do Four, em Insurgente ele me dá tanta raiva que tenho vontade de cortar sua cabeça, mas não há como odiá-lo. Amo distopias, acho que o gênero do século. Parabéns pela resenha, realmente amei!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. OMGGG quero muito esse livro agora com sua resenha vi que vc amou e ficou super empolgada.é muito livros na lista quero ler antes de ver o filme,mais ta dificil viu.Vou me esforçar agora pra poder comprar esse livro que pelo jeito é maravilhoso

    ResponderExcluir
  17. Você acredita que ainda não li esse livro, mas to doida pra comprar, necessito dele. E também ainda nem vi o filme :o procurei em dvd na minha cidade mas ainda não encontrei :/
    Amei sua resenha, realmente enta tendo muitos livros com triangulo amoroso, gosto também de livros narrado pelo personagem principal. Um dia compro o box logo :)

    http://talento-feminino.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oiee

    Adorei a resenha e também amei a série quis ler logo que saimos do cinema e com certeza no meu caso ver o filme primeiro antes de ler me deu uma base para imaginar a leitura que flui tão rápido.

    Amei a série do começo ao fim e também recomendo a todos,

    Beijos

    www.livrosechoclatequente.com.br

    ResponderExcluir
  19. Nossa, amei a resenha, acho que foi a melhor que já vi do livro!
    Como você já sabe, eu também amei o livro, é perfeito. A escrita da Veronica é incrível, e a construção dos personagens não poderia ser melhor. Também adorei a Tris, e o fato dela não ser uma personagem mimimi, e de não haver triângulos, rs.
    Vou aguardar ansiosa pela resenha de Insurgente e Convergente, rs

    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. AMO Divergente. É um dos meus livros favoritos.
    Li depois de Jogos Vorazes e adorei essa nova distopia, com as 5 facções, rituais de iniciação e os segredos.
    A Tris é uma ótima personagem. Gostei de acompanhar o seu crescimento e seu romance com o Quatro *-*
    A narrativa é realmente viciante. Não conseguia largar o livro.
    Recomendo para todos!

    ResponderExcluir
  21. Oiiii Patty,
    eu ganhei o livro e não consegui ler ainda, acredita?!
    Nem o filme eu consegui ver! Muito triste isso!
    Mas ele está na fila aqui... Em breve compartilharei as opiniões!

    Beijinhos
    Sou eu... Pri!

    ResponderExcluir
  22. Eu estou louco pra ler esses livros já tem um tempinho, mas sempre algo me atrapalha de compra-los... e apesar de ter sorte de ter migos que sempre me emprestam livros, nenhum tem divergente.

    ResponderExcluir
  23. So pra constar.. parabéns pela resenha 100 .. isso merecia uma comemoração...

    ResponderExcluir
  24. Oi Patty, tudo bem?
    Realmente creio que seja muito dificil resenha um livro que gostamos muito, pois sentimos dificuldade em falar o quanto gostamos do livro, parece que nenhuma palavra é o suficiente para descrever tudo, adorie a sua resenha, ainda não li Divergente, mas vi o filme e adorei, espero poder ler o livro em breve e gostar tanto quanto gostei do filme.
    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  25. Ahhh sou muito suspeita para falar de Divergente, foi a minha melhor leitura de 2013, assim que o terminei pela primeira vez, comecei a ler novamente.

    Amo esta trilogia, tem muitas liçõezinhas boas. Para ser altruísta precisa-se antes ser muito corajosa, sempre!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  26. Oi Patty não resisti e estou lendo o livro Divergente ainda mais depois ver ele como favorito, quero ver
    quando eu chegar em Convergente kkkk!
    Bjkas
    Dani Casquet- Livros, a Janela da Imaginação

    ResponderExcluir
  27. Eu também sou suspeita para falar de Divergente, foi um dos livros que eu mais gostei em 2013, e também um dos filmes que eu mais gostei em 2014 - até agora né kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  28. O amadurecimento da Tris é a melhor parte do livro. Também gostei do fato de o livro não ser focado SÓ no romance - dar pouco espaço para isso, até - e focar mais nas questões "políticas" Algo que me irritou foi a quantidade de traições/ataques que a Tris sofre. Pode uma protagonista sofrer tanto assim?!

    ResponderExcluir
  29. Amei a resenha e estou louca para comprá-lo!! E se eu fosse escolher uma facção acho que seria a Erudição! Busca pelo conhecimento!! kkkkkk bem a minha cara

    ResponderExcluir
  30. Oi Patty!
    Adorei sua resenha!
    Eu gostei de Divergente, mas fui com muita sede ao pote, e achei ele bom. Apenas isso.

    ResponderExcluir
  31. Patty adorei a resenha, mas vou fazer uma confissão, logo que o livro foi lançado, eu confesso que queria muitoooo ler ele, mas agora que a poeira abaixou, não tenho qualquer interesse.
    Eu sei que posso me arrepender depois, mas eu não tenho mesmo.

    Abraços
    Vivi

    ResponderExcluir
  32. Confesso que quando fui ler o livro não esperava grande coisa mas a escrita e a historia me surpreederam ao ponto de não conseguir ficar sem ler um momento. Beijos

    ResponderExcluir
  33. Ahhhhhhhhhhhhh preciso comprar logo =(
    É tanta vontade que tenho de ler quando vejo todas essas resenhas ótimas.
    E eu queria muito ler a série antes do próximo filme estrear. Espero conseguir.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Comente, ficarei muito feliz em saber sua opinião!!!