Resenha #128 - O Sobrevivente - Gregg Hurwitz - Editora Arqueiro


Título: O Sobrevivente
Autor(a): Gregg Hurwitz
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412956
Ano: 2014
Páginas: 368

Livro recebido em parceria com a editora


Sinopse: No parapeito de uma janela de banheiro no 11º andar do First Union Bank, Nate só tem mais um objetivo na vida: reunir a coragem necessária para saltar e acabar com os seus problemas. De repente, ele ouve tiros dentro do banco e, ao espiar o que está acontecendo, vê uma cena terrível: criminosos mascarados disparando cruelmente em qualquer um que se coloque em seu caminho. Enquanto sustenta o olhar de uma mulher agonizante, Nate toma uma decisão. Lançando mão de seu treinamento militar, ele consegue render e matar todo o grupo, exceto o seu líder. Antes de escapar, o homem deixa claro que ele se arrependerá de seu ato heroico. Ele está certo. Em poucos dias, Nate é sequestrado pela mafia ucraniana e recebe uma ameaça: precisa voltar ao banco e concluir a tarefa que os bandidos não puderam cumprir. Do contrário, sua ex-mulher – pela qual ainda é apaixonado – e a filha adolescente, que não o reconhece mais como pai, serão brutalmente assassinadas. Enquanto o tempo corre de maneira implacável e o prazo de Nate se aproxima do fim, ele luta não só para salvar as duas da morte, mas também para recuperar sua confiança e seu amor.


Fala galera! 
Tudo bom? 

Vocês já estão acostumados a ver as minhas resenhas sobre livros de fantasia e coisas do gênero, mas eu também sou bastante adepto dos romances policiais. De vez em quando é bom sair um pouco de determinado gênero e aproveitar outras leituras e conhecer novos autores, como foi o caso do livro de Gregg Hurwitz. Nunca tinha ouvido falar do autor, mas a sinopse do livro me chamou a atenção, e eu disse: Por que não? 

A história começa com Nate prestes a pular da janela do banheiro do 11º andar de um banco. Sua vida até ali não fora muito boa, e ele estava prestar a acabar com tudo, só precisava dar um passo. Seu futuro suicídio foi atrapalhado por barulhos de tiros vindos de dentro do banco. Ao expiar pela janela, Nate percebe que o banco está sendo assaltado. 

São seis assaltantes, bem armados e organizados. Nate observa tudo da janela, e quando um dos homens aponta a arma para uma garotinha, seu instinto protetor é ativado e ele adentra o local. Pega uma arma deixada em um dos balcões e com uma grande maestria dá cabo de cinco dos seis ladrões. Um deles escapa, mas antes eles têm o seguinte diálogo: 

- Ele vai ficar muito, muito aborrecido com você.
- Diga a ele, seja lá quem for para entrar na fila - respondeu Nate.
Apontando para Nate, o homem falou:
- Você nem faz ideia da enrascada em que se meteu. 

Após o episódio do assalto, Nate foi assediado pela mídia e considerado praticamente um herói. Após essa parte do livro, acontece um flashback mostrando toda a vida de Nate até os dias de hoje. Nessa parte descobrimos o motivo dele estar prestes a cometer suicídio. Ele teve uma vida muito sofrida e é assombrado constantemente pelos fantasmas do passado. 

O aviso do assaltante fica na cabeça de Nate por um bom tempo, até que ele é sequestrado. Nate acorda com metade do seu corpo congelado dentro de um bloco gigante de gelo, ele não consegue sentir as pernas e ouve vozes ao seu redor. O assaltante do banco está entre os homens no recinto e o "Ele" chega. 

Então, ele começou a perambular, e um feixe de luz subitamente iluminou seu rosto sulcado de rugas. Boca grande, lábios carnudos. Olhos de safira, tão duros quanto às próprias pedras. Vestia um terno de corte perfeito, e sob ele uma camiseta térmica preta de cuja gola escapava alguns pelos brancos. Apesar da idade, tinha um porte atlético, de músculos aparentemente rígidos e inquebráveis, como se esculpidos em madeira. Ele enterrava ambas as mãos nos bolsos das calças. Os bíceps recheavam por completo as mangas do paletó. O rosto era o de um homem de quase 70 anos, mas o corpo parecia pertencer a alguém meio século mais jovem. 

O homem era Pavlo Maksimovich Shevchenko. Líder da máfia ucraniana. Seu intuito não era roubar o dinheiro do cofre do banco, isso ele tinha de sobra. O que ele queria era algo bem específico, mas não perdeu o seu tempo tentando explicar. Nate teria cinco dias para assaltar o banco que salvara e conseguir o que Pavlo realmente queria. Caso ele não o fizesse, sua filha seria morta. 

O Sobrevivente é um thriller policial narrado em terceira pessoa. A narrativa foca principalmente a história de Nate, mas em determinados momentos temos partes onde o ponto de vista são outros personagens, o que dá uma visão bem mais ampla dos acontecimentos, e podemos conhecer melhor os personagens secundários e o vilão. A narrativa em si, é bem fluída e detalhista, mas sem exageros. 

Os personagens até que são bem caraterizados, o autor tem o cuidado de passar pelo menos um pouco do background de alguns deles, assim os leitores conseguem entender a motivação de suas ações. Nate sofreu muito a vida inteira, e não tem muito que perder, ele não tem perspectiva de vida, as únicas coisas que são importantes para ele, são a sua ex-mulher, que ele ainda ama, e sua filha adolescente. Por causa do bem estar delas que ele tira forças para seguir com o que ele tem que fazer. 

Eu categorizo um bom livro policial, quando ele te surpreende a todo o momento. Seja nunca descobrindo o assassino, ou te deixando no escuro de como as coisas vão terminar. Em O Sobrevivente, logo de início muitas coisas acontecem, e ao mesmo tempo nada. O livro tem quase 400 páginas, e a corrida para solucionar os problemas, acontece praticamente no final. 

O motivo que desencadeou todo ocorrido me pegou de surpresa, eu não conseguia imaginar o livro seguindo essa linha, e eu particularmente não gostei, acho que eu estava esperando algo um pouco mais "máfia" ou terrorismo. 

Eu gostei como os assuntos pessoas de Nate foram abordados, e os conflitos familiares que ele estava vivendo, ou melhor, adiando. O final não foi muito surpreendente, pois com tudo que vem acontecendo, e conhecendo o personagem como o leitor passa a conhecer, a solução que ele encontra é bem óbvia. Foi um final digno para a história e para o protagonista, eu me senti satisfeito. 

Se você curte livros policiais, O Sobrevivente vai ser uma boa leitura, não é o melhor livro, mas tem suas qualidades. É uma leitura rápida que abrange alguns temas bacanas.







18 comentários:

  1. Oi Biel

    Quando vi esse livro nas listas de opções do mês me senti atraída para ler mas resolvi mudar para um romance normal agua com açúcar mesmo mas como temos gostos diferentes acho que iria gostar de ter lido, as vezes é muito bom alterar o gênero que estamos lendo!

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?

    Não sou muito de ler livros policiais, por isso acho que não iria gostar muito desse livro. Mas quem sabe eu leia. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Biel, quando vi esse livro não pesquisei sobre ele, não sabia que era policial, eu gosto desse gênero tbm e pra variar é bem dinâmico, mas fiquei bastante curiosa para ler! Bjkas
    Dani Casquet- Livros, a Janela da Imaginação

    ResponderExcluir
  4. Oi,Gabriel.

    Ainda não li nenhum livro policial. Mas pela premissa do livro acho que não curtiria muito a leitura. O que me atraiu foi o motivo dele querer se suicidar, no livro conta o porque ele chegou a pensar nisso? Máfia não é muito legal, até que consegui assistir todos os filmes do Poderoso Chefão. Um dia vou tentar ler esse gênero. >.<

    Sorteio: O lado mais sombrio e Atrás do espelho, participem.
    http://paradisebooksbr.blogspot.com.br/2014/10/sorteio-de-halloween-novo-layout.html

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oii
    Eu gosto muito de romances policiais, todo o suspense desses livros me deixa em êxtase. Eu estava com muitas expectativas sobre esse livro, agora nem tanto. Como uma fã de Sidney Sheldon, tenho uma queda por mafiosos kkkk Então, esperava que fosse melhor trabalhado no livro. Eu gosto bastante da premissa, partiu daí meu interesse pela leitura. Não desisti de vez do livro, ainda não kkk Parabéns pela resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Gabriel, tudo bem?

    Esse tipo de livro não faz muito meu estilo, e pela resenha ele me pareceu ser um livro bem mais ou menos.
    Por isso não pretendo lê-lo!

    ResponderExcluir
  7. Oiee ^^
    Eu também não sou muito fã de romances policiais e coisas desse gênero, mas este livro parece ser "legalzinho"

    ResponderExcluir
  8. Oi Gabriel!
    Não sou muito fã desse estilo de livro e a sinopse não chamou muito a minha atenção, mas fiquei curiosa apara saber o que eles querem tirar do banco, mesmo que seja algo meio decepcionante...
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Gabriel! (Dessa vez acertei kk)

    Eu achei a resenha muito boa e explicativa! Não conhecia o livro, nunca tinha ouvido falar apesar de a capa não ser estranha.
    Mas o tipo de história não me atrai tanto e com uma lista imensa pra ler, eu descartarei esse! Quem sabe um dia num futuro!

    Beijos!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Livro incrível! percebe-se pela sinopse depois li a resenha e apaixonei pelo livro!
    Achei meio maluco ele quero se matar em pulo daquele lugar algo
    pra resolver os problemas, do que adianta ele vai morrer e o problema estara
    lá a diferença que agora ele não precisa ser preocupar

    ResponderExcluir
  11. Quando vi esse livro sendo lançado fiquei muito interessada, inicialmente pela capa. Depois li a sinopse e achei interessante. que pena não ser dos melhores, romances policiais são sempre bons de se ler. Mas mesmo assim, espero dar uma chance pra esse livro.

    ResponderExcluir
  12. Gosto bastante de romances policias, mas devo confessar que perdi o interesse nesse logo na sinopse quando diz: ele ouviu tiros dentro do banco e resolve dar uma espiada....

    ResponderExcluir
  13. Oi Gabriel, a premissa me parece ser bacana mas não sei se leria =/

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  14. Gosto bastante de romances policiais, mas infelizmente esse não me atraiu muito. Talvez quem sabe depois eu acabe lendo. :l

    ResponderExcluir
  15. Oi Patty, adoro romances policias daqueles de tirar o fôlego. Sou extremamente viciada em Sidney Sheldon e pra mim, ele é um dos melhores escritores que já existiu.
    Gostei bastante da premissa de O Sobrevivente e acho que seria um livro de tirar o fôlego, ainda mais que já começa de uma forma bem diferente.
    Beijos - lendocomabianca.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Conheço o autor pelo seu ótimo livro Você é o Próximo, agora em O Sobrevivente ele vem com uma abordagem mais diferenciada na narrativa, mesmo que não tenha muitas surpresas o autor consegue nos prender a história e o desenvolvimento da personalidade dos personagens é fundamental para isso, tenho uma ideia sobre o que é a história e quais as motivações, certezas só terei quando fizer a leitura.

    ResponderExcluir
  17. Eu tenho uma relação de amor e ódio com livros policiais,tudo depende do meu humor.E mesmo havendo todos esses pontos negativos o livro não parece ser de todo ruim mesmo.Só não gostei de saber que tudo praticamente se resolve apenas no final.

    ResponderExcluir
  18. Eu gostei bastante da premissa desse livro, e acho que a Arqueiro deveria investir mais no marketing desse livro. Eu sou super adepta a romances policiais e não vejo a hora de tê-lo em mãos. Super concordo quando você diz que um bom trama policial é não descobrir quem o assassino é e no final, ficar pensando em porquê você não pensou nele haha sempre acontece comigo. Enfim, já o adicionei na minha wishlist e espero que eu goste (:

    ResponderExcluir

Comente, ficarei muito feliz em saber sua opinião!!!