Resenha #192 - Doce Relíquia Mortal - Nora Roberts - Bertrand Brasil


Título: Doce Relíquia Mortal
Autor (a): Nora Roberts & J.D Robb
Editora: Bertrand Brasil
ISBN: 9788528620184
Ano: 2015
Páginas: 532


Livro recebido em parceria com a Editora


Sinopse: Laine Tavish é a conhecida dona da Doce Relíquia, uma encantadora loja de antiguidades. Seus clientes, no entanto, nem imaginam que ela é filha de um trapaceiro conhecido pela polícia e que cresceu como uma fora da lei, sempre se mudando de cidade. Mas o passado de Laine acaba por alcançá-la. Seu tio há muitos anos desaparecido visita a Doce Relíquia e deixa um misterioso alerta antes de morrer atropelado por um carro. Logo em seguida, a casa de Laine é saqueada. Agora, as respostas sobre quem a persegue – e por quê – precisam ser encontradas por ela e pelo enigmático e atraente Max Gannon. E uma fortuna em diamantes roubados e desaparecidos faz parte desse mistério.
Décadas depois, na Nova York do ano 2059, uma boa parte do velho tesouro que Laine e Max tanto buscaram continua sumida. Mas agora há mais alguém à procura dos diamantes; uma pessoa disposta a matar por eles.
Doce Relíquia Mortal é uma jornada eletrizante onde se misturam o romance e a emoção nos dias de hoje com o suspense futurístico de várias décadas adiante. É uma história cheia de trapaças e segredos, de mulheres fortes e homens fascinantes – uma combinação incrível das duas facetas de Nora Roberts, autora amada por fãs de todo o mundo.

Ela sentiu o corpo inundado e saturado de prazer, mas a cabeça estava calma como um lago no verão. Viu-se aprisionada do lado de baixo, encantada consigo mesmo e com ele. Ouviu-lhe a respiração entrecortada. Era uma satisfação imensa saber que tinha sido a responsável por aquilo. Brincou com os cabelos dele, fechou os olhos e se deixou flutuar no silêncio. (parte 1)

Se você como eu é fã dos romances de Nora Roberts e não perde por nada as aventuras policiais futuristas escritas por seu pseudônimo J.D Robb, então você não pode deixar de ler Doce Relíquia Mortal. O mais recente lançamento da Editora Bertrand Brasil conseguiu unir o melhor dos dois universos dessa autora brilhante. É isso mesmo, em um só livro o leitor se deleitará com um romance de arrancar suspiros e derreter os corações mais resistentes, além de acompanhar a Tenente Eve Dallas, em uma caçada contra o tempo para desvendar mais um caso de assassinato em uma Nova York futurista, isso porque a segunda parte de Doce Relíquia Mortal se passa no ano de 2059.

Apesar da trama das duas histórias estarem interligadas, as histórias podem ser lidas de formas independentes. Você consegue entender a segunda história sem ter lido a primeira, é claro que você irá pegar alguns spoilers, mas fica a gosto do freguês. Caso você seja fã da série Mortal escrita por J.D Robb e esteja com saudades de seus personagens, a segunda parte do livro é ideal para aplacar um pouquinho essas saudades. Roarke está presente. Esse homem é sem dúvida meu eterno marido literário. 

Na primeira parte de Doce Relíquia Mortal iremos conhecer Laine, ela é filha de um golpista, e desde muito pequena aprendeu com o pai a aplicar pequenos golpes na praça. Após a separação dos pais, Laine passa a viver longe do pai e decide ter uma vida honesta, após se formar Laine se muda para uma cidadezinha do interior e abre uma pequena loja de antiguidades. Ao assumir o nome do novo marido de sua mãe, e praticamente criar uma nova história para si, Laine acredita ter se livrado do passado.

O que Laine não imaginava era que o passado viesse bater literalmente em sua porta. Quando ela recebe a visita de um "estranho" em sua loja, que lhe deixa um cartão pedindo para que ela lhe procure, e se mostra triste quando ela não o reconhece. E pouco depois de deixar sua loja é atropelado e antes de morrer se identifica como um amigo próximo de seu pai, que Laine não vê há muito tempo, e lhe diz coisas sem sentido, a vida de Laine vira de ponta cabeça.

Laine sem perceber é envolvida em uma trama perigosa, diamantes foram roubados, nada mais nada menos que 28 milhões de dólares estão em jogo, quem matou o amigo de seu pai, agora está atrás de Laine, acredita que através dela chegará a Big Jack, e com isso conseguirá a outra parte dos diamantes. O golpe de mestre teria dado certo, se todos os envolvidos tivessem se dado por satisfeitos com sua parte. Os diamantes foram divididos em quatro partes iguais, e agora o ganancioso Alex Crew está querendo juntar todas às quatro partes, se matar é o preço a pagar para ter todos os diamantes para si, ele está mais do que disposto a pagar o preço.

É no meio desse turbilhão de acontecimentos que Laine conhece o enigmático, envolvente, atraente e lindo, Max o detetive particular que está investigando o roubo dos diamantes. No começo eu não conseguia acreditar muito no Max, quer dizer, eu acreditava, desacreditando, deu pra entender? Acho que não. É que eu fiquei com o pé atrás com ele. Eu tinha a impressão que de uma hora pra outra ele iria sumir, e deixar Laine. Ele era perfeito demais. Ele é aquele tipo de personagem que fala a coisa certa na hora certa, os homens da Nora Roberts tem o dom de me enlouquecer. Eita mulher pra ter uma imaginação sagaz. A primeira parte do livro arranca suspiros, risos, suspiros, suspiros, e te faz querer achar um Max na próxima esquina.

E quando você que já suspirou muito, Nora Roberts incorpora J.D Robb e te faz salivar, porque é isso que acontece quando Roarke entra em cena. A segunda parte do livro se passa em Nova York de 2059. Para quem já leu a série Mortal, já está habituado com o universo futurístico criado por J.D Robb. Para os que não conhecem a série, Eve Dallas é uma Tenente da Divisão de Homicídios e casada com Roarke, o cara é praticamente dono de metade do planeta Terra, e de algumas colônias espalhadas pelo universo. Sim, é isso mesmo que você leu, em 2059, não só o planeta Terra é habitado, como boa parte do universo. Nessa parte do livro Eve e Roarke irão ajudar a desvendar um assassinato que está diretamente ligado ao roubo dos diamantes que ocorreu há mais de 50 anos.

Quando um romance é lançado narrando a história do roubo dos diamantes e tendo como pano de fundo a história de amor entre Laine e Max, se torna sucesso,  acende a cobiça de algumas pessoas, pois um quarto dos diamantes desaparecidos nunca foi encontrado. Hoje avaliado em uma pequena fortuna é mais que motivo para que mortes ocorram, cabe a nossa heroína, tenente Dallas, resolver mais este caso, e fazer com que os culpados paguem por seus crimes.

Eu amei o livro, como disse sou fã de Nora Roberts, e sou apaixonada pela série Mortal de J.D. Robb, adorei a junção das duas em um só livro. Pra quem ainda não teve a oportunidade de conhecer a escrita da Nora como J.D essa é uma ótima oportunidade. O livro é extenso, são mais de 500 páginas, mas em nenhum momento o livro se torna cansativo, as narrativas da Nora e da J.D são deliciosas. Mesmo sendo a mesma pessoa, você percebe a diferença entre as narrativas, é muito interessante. Eu já li muitos livros da Nora publicados pela Bertrand e todos eles eram em páginas brancas, esse foi impresso em páginas amarelas, eu adorei, muito mais confortável a leitura.

Adorei, adorei, adorei. Estava com saudades da série Mortal. Apesar de ter todos os livros na estante, eu ainda não li os três últimos, infelizmente. Estava precisando de uma dose de Roarke. Leitura mais que recomendada!!!

Roarke desejara muitas coisas em sua vida, mas nada de forma tão intensa como ela. Com Eve, quanto mais obtinha, mais ansiava, num ciclo infinito de amor, desejo e saudade. Podia suportar o que passara antes e aguentar qualquer coisa que viesse depois, desde que a tivesse a seu lado. (parte 2)

19 comentários:

  1. Lendo a resenha me interessei pela história do livro Doce Relíquia Mortal, e a capa me chamou bastante a atenção também, fiquei curiosa para conhecer um pouco mais da história de Laine e Max, e Eve e Roarke. E descobrir claro se eles acharam os diamantes.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Patty! Ainda não li Nora Roberts e também não conheço a série Mortal. Achei muito interessante a ideia da autora de fazer essa junção, como você mencionou na resenha; ainda mais, sendo perceptível ao leitor, a diferença das narrativas. Fiquei mega curiosa para ler esse livro.

    ResponderExcluir
  3. adorei a resenha, adoro a autora e com certeza vou ler, fiquei bastante interessada e sei que vou me fartar nessas 500 paginas.

    ResponderExcluir
  4. Oi Patty,

    Ainda não li nada da Nora Roberts, mas tenho uma curiosidade grande sobre esta série, já andei pesquisando sobre ela e depois de sua resenha fiquei empolgada pra adquirir o livro.

    ;)

    ResponderExcluir
  5. Não vou mentir dizendo que vou ler esse livro porque não tenho interesse nessa serie da Nora embora adore sua escrita, mas confesso que achei interessante a temática do livro e eu não sabia que essa serie era futurista, me sentindo meu desinformada kkk Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Patty. Tudo bem?
    Nunca li nada da série mortal e nem da Nora, mas tenho muita curiosidade sobre a escrita da autora. Como não sou o maior fã de romances, acredito que esse seja o livro ideal para eu começar a desbravar o universo da autora.
    Excelente resenha.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  7. Gosto muito da Nora, mas nunca li nenhum livro policial dela, apenas os romances. Apesar de não gostar de aventuras futuristas, achei a premissa desse livro bem intrigante, fiquei super curiosa para saber que segredo era esse que o tio queria contar, e por ser da Nora, vou abrir uma exceção, acho que não me arrependerei.

    ResponderExcluir
  8. Minha nossa, que resenha *-* Já tinha visto no SKOOB e vi que foi você mesma que escreveu. Não li ainda nenhuma obra de Nora, e agora sei o que estou perdendo. Esses diamantes são muito convidativos :D Amei e fica para as minhas férias ;)

    ResponderExcluir
  9. Oi, não li nada ainda da Nora, mas tenho vontade de ler a série Mortal. Acho obra de gênio escrever uma série com livros independentes, assim abrange mais os leitores agradando os não fãs de série.

    Achei a premissa ótima e super interessante. Acho que nunca li nada que use o futuro no enredo.

    ^^

    ResponderExcluir
  10. Oi, Patty!
    Até hoje eu só li um livro da Nora Roberts, e não curti muito o romance, achei que ele fugiu muito da realidade. Enfim, eu não sabia que ela tinha um pseudônimo e que mesclava romance romântico com policial. Interessante! Vou procurar essa série Mortal.
    Beijos!
    http://asassecretas.blogspot.com.br/2015/06/resenha-elo-imogen-howson.html

    ResponderExcluir
  11. Que doido isso!
    A autora escrevendo em parceria com ela mesma hahahahah mas tudo bem! Entendi o propósito.
    Eu gosto bastante de histórias policiais, com mistérios, investigações e tal, e creio que o romance dá uma amenizada nesse clima tenso.
    Não sabia bem do que se tratava esses livros, mas achei a proposta bem interessante.

    Beijos,
    Duas Leitoras

    ResponderExcluir
  12. Nossa! Ainda não li nada da Nora Roberts e não conhecia essa série, mas seus elogios me animaram muito a conhecer rsrs. Eu achava que eram livros de puro romance, que bola fora a minha, mas curti saber desse quê policial que muito me agrada kkkkkkkkk
    Vou ficar de olho agora!!!
    Bjinho

    ResponderExcluir
  13. Olá, ainda não li nada da Nora Roberts, mas fiquei muito interessada na resenha, nunca tinha visto nada sobre essa série, adorei conhecer e quero logo esses livros!!
    Abraços
    Gabriela Vidal
    www.estantedepapel.com
    Participe dos nossos sorteios!

    ResponderExcluir
  14. Nunca li nada da Nora e morro de vontade, mas ainda não me arrisquei com essa série porque ela é aquela enorme, né? Esse parece ser muito interessante, se bem que acho que tudo que ela escreve parece ser assim. Depois dessa resenha fiquei morrendo de curiosidade de fazer a leitura!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia esse livro da Nora Roberts, e gosto tanto da autora!
    Adorei a proposta do livro e sou louca com essas estórias que precisam desvendar um mistério que o protagonista precisa descobrir as coisas junto com a gente... fico me sentindo parte da estória.
    Amoo livro bom que tem muitas paginas, 500 nem é tanto pra quem é fã! Haha!
    E essa coisa dela escrever como outra pessoa achei tão legal, quero conhecer logo essa série, mas me falaram que é difícil conseguir o primeiro livro...
    Ameiii a dica!!

    ResponderExcluir
  16. Oi Patty!
    Já tinha ouvido falar da série Mortal, mas não fiquei muito interessada pelos livros por não ser uma grande fã de histórias policiais... Mesmo assim, gostei da proposta de usar duas épocas diferentes e fiquei curiosa sobre essa Nova York futurista.
    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Eu juro que por essa eu não esperava. Romance, suspense e um mundo futurista? Essa receita me deixou muito curiosa! Adoro um bom mistério, e se o romance for bem desenvolvido - coisa que não duvido que seja, afinal é de Nora que estamos falando - temos aí um livro feito para me fazer salivar e querer mais.
    Adorei a resenha e ele acaba de entrar na minha lista!
    Abraços

    ResponderExcluir
  18. Oi Paty, acho que nossa dica deveria usar o Roarke em todos os seus livros, seja lá do que for...kkkkk
    Este ainda não li, mas com certeza sera lido. Tudo que cai na minha mão da Nora eu leio.
    Bjs,Rose.

    ResponderExcluir
  19. Oi Patty,
    Sabe que eu não sabia que a Nora escrevia outros gêneros e que usava até com pseudônimo... to surpresa... o.O
    Adorei a mistura romance/policial/futurista!!
    Vou procurar os livros dessa série, fiquei interessada!
    Um super abraço

    ResponderExcluir

Comente, ficarei muito feliz em saber sua opinião!!!