Resenha #194 - Memória da Água - Emmi Itäranta - Galera Record

Título: Memória da Água
Autor (a): Emmi Itäranta
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501103116
Ano: 2015
Páginas: 288


- Livro recebido em parceria com a editora.



Sinopse: Num futuro distante, depois de muitas guerras, a Europa foi dominada pela China, e o bem mais precioso dos tempos antigos se tornou tão escasso quanto a liberdade. A água passou a ser controlada e distribuída em cotas pelos militares. Noria é filha de um mestre do chá, uma profissão muito antiga que tem conhecimento sobre a localização das nascentes de água. Ela está sendo treinada para substituir o pai, e dentre todos os ensinamentos, ele revela à filha seu maior segredo: uma fonte natural escondida que fornece água para a família. Desamparada em um mundo destruído, ela começa a questionar o significado de tamanho privilégio. Guardar esse segredo é negar ajuda ao restante de população, e ajudá-los é colocar em risco a própria vida: os militares punem severamente quem for descoberto desfrutando de alguma fonte ilegal de água. Como o pai a ensinou, é preciso ter sabedoria para compreender o verdadeiro poder da água. Mas Noria também aprendeu que a sabedoria representa, acima de tudo, o poder de decidir seu próprio destino, a escolha entre lutar e se entregar.

"Algumas histórias dizem que a água carrega a memória de tudo que já aconteceu.
Ela preenche o solo, dá vida ao mundo, leva embora as impurezas, mas também causa conflitos, morte e dor. A água cria e destrói. E é ela que conta esta história."


Para os fãs de distopias como eu, esse livro irá agradar bastante, pois trata de um tema muito interessante e que realmente é algo com que já começamos a nos preocupar; como a escassez da água, por exemplo, além da falta de outros recursos fundamentais para a nossa existência e sobrevivência!

Em Memória da água, devido ao aquecimento e o derretimento das calotas polares o mundo mudou e também nossa fonte “inesgotável” de água potável, transformando tudo em desespero, morte e horror! Mudando a forma com que as pessoas priorizam os bens naturais que temos hoje, ainda em abundância, transformando as pessoas; afinal somos o que somos e nossa natureza não nega. Vivemos passivamente enquanto não necessitamos de algo fortemente para viver! Como no caso do livro!

Nesse enredo pós-apocalíptico conheceremos Noria, uma jovem que busca agradar aos pais e a si mesma dominando a arte do “Mestre do chá”. As pessoas de seu vilarejo recebem uma cota de água que é dessalinizada, claro que o sabor é diferenciado, mas é o que há para se sobreviver. 

Porém o chá feito pelo pai de Noria possui um sabor incomparável e isso desperta a atenção de um membro do exército fazendo com que passe a desconfiar que a algo diferente ou errado. Isso abala a estrutura familiar de Noria, pois sua mãe decide partir e acaba sendo forçada a deixar Noria e seu pai para trás, já que ambos pretendem permanecer onde estão e fazendo o que fazem! Noria irá descobrir segredos muito bem guardados e perigosos.

Bom a história é bem escrita e descrita e como bem sabemos nenhum segredo permanece oculto para sempre. E claro que a escassez de coisas fundamentais para a vida humana acaba por transformar até o mais passivo dos homens “em um combatente” “em um animal” e é por aí. Haverá hordas de pessoas dispostas a tudo para se obtiver o necessário, outros querendo impedir que esses tomem o poder. E uma lembrança vívida: “Quem detém os subsídios necessários, detém o poder sobre os outros”.

Eu gostei muito do enredo, porém como estou acostumada com distopias mais “elétricas”, senti falta de toda a confusão e adrenalina. Mas nem por isso deixou de ser uma leitura reflexiva e atraente!

"Só o que muda pode ser permanente"
Wei Wulong, "O caminho do chá"
Século VII do antigo Qian

19 comentários:

  1. Adorei a resenha desse livro!
    Super me interessei pelo livro, pois a falta de água é uma realidade, em algumas cidades ou países, mas claro, não do mesmo estágio do livro, e acho legal abordar o assunto mesmo que não estejamos nesse estado como é narrado no livro, mas em um futuro distante, como diz no livro se nenhuma medida for tomada, não estamos livres de viver em caos por falta de agua.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Karini! Eu adoro distopias e achei a proposta da autora muito interessante. Também prefiro quando são mais elétricas e cheias de ação, mas acho que a leitura desse livro servirá bastante como um alerta, né? Curiosa para ler!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Karini!
    Eu apenas tinha lido a sinopse do livro no facebook da editora e estava ansiosa pra ler uma resenha. A sua é a primeira e pelo o que eu estou vendo o livro é um conflito que gira em torno da escassez de água e outros recursos naturais. Mas eu queria saber se tem um romance? E se terá alguma continuação.
    Beijos!
    http://asassecretas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Adoro distopias e o livro parece ser bom, mas não o bastante para me fazer ficar desesperada para le-lo porque eu sou acostumada a distopias com ação e muitas reviravoltas e esse livro não parece oferecer o que procuro num livro, mas não deixaria de ler se esse livro chegasse em minhas mãos >.< beijos e ótima resenha.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Karini.
    Eu gosto muito de distopias, mesmo dessas mais lentas e reflexivas. Aliás, muitas vezes eu até prefiro distopias mais cadenciadas assim, pois tendem a gerar uma reflexão mais profunda.
    Esse problema da água realmente já é preocupante. Sem dúvidas é algo para se pensar.
    Excelente dica.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  6. Oi Karini,

    Eu não sei o que eu esperava de um livro com esta capa e o título de Memórias da Água, mas com certeza não era o que li na resenha e na sinopse (rsr). Parabéns pela resenha, está muito boa, eu gosto de distopias mas como você disse as distopias que já li são bem agitadas e cheias de ação e o fato de você ter citado que este livro é um pouco lento não me fez ter vontade de lê-lo, ainda assim o livro tem a vantagem de ser único, fico nervosa esperando as continuações que geralmente vêm com as distopias.

    :)

    ResponderExcluir
  7. Oi, Karini!
    Acho que o "pior" dessa história é saber que se trata de uma coisa bem possível de acontecer, e em pouco tempo. Nossa água potável não é infinita!
    Fiquei imaginando o que eu faria no lugar de Noria... será que eu deixaria o medo e egoísmo de lado para ajudar a população, correndo o risco de sofrer as consequências? Mas e se eu não fizesse, como conviveria com esse segredo que poderia salvar a todos?
    Aiii, não sei...
    Excelente dica de livro, apesar de não ser tão "elétrica", como diz você

    Beijos,
    Duas Leitoras

    ResponderExcluir
  8. meu grande incentivo pra ler esse livro é por se tratar de distopias, adoro leitura desse tipo, confesso que o livro nao me chamou tanta atençao assim, mais vou dar um chance, quem sabe eu gosto neh.

    ResponderExcluir
  9. Hello!!
    Também adoro uma distopia, na verdade comecei a ler pouco tempo, mas adoro essas aventuras que os personagens se envolvem. Também gosto de estórias mais “elétricas” como você disse, mas realmente o enredo é bem interessante.
    Capa diferente das outras séries de distopias que estamos acostumadas.Gostei desse diferencial.
    Vou ler com certeza!
    Bjus

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Já tinha visto o livro em livraria, mas o conheci melhor no Mochilão da Record aqui no RJ. Achei a história bem diferente de tudo que eu já li e deixei anotado aqui na minha lista que cresce a cada dia rsrs. Confesso que não morri de amores, mas gosto de histórias diferentes, então vou ler com certeza!!!
    Bjinho

    ResponderExcluir
  11. Olá, confesso que esse livro já não me interessou no lançamento, com as resenhas que tenho lido também não me animaram a ler. O assunto em si é polêmico e acho legal que os autores não pensem só em vender, mas em mandar uma mensagem assim como essa! Mas não me interessei pelo enredo!
    Abraços
    Gabriela Vidal
    www.estantedepapel.com
    Participe dos nossos sorteios!

    ResponderExcluir
  12. Percebi que algumas pessoas reclamaram desta falta de ação do livro, o que é uma pena já que a premissa é muito boa.

    O livro está na minha lista de querências, pois gosto muito de leituras com assuntos e temas que me tirem da mesmice.

    ^^

    ResponderExcluir
  13. Oi, Karini!

    Eu amei a sinopse e nem fazia ideia desse livro. Entendo que a história não apresenta muita ação, mas acho que esse tema é mais reflexivo que algo ativo, né?

    Achei muito interessante mesmo e vou pesquisá-lo com certeza! Hahaha

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Não sou muito acostumada com distopias, mas essa parece ser interessante justamente por ser diferente das demais, no meu ponto de vista. E adoro livros que provocam reflexões, então talvez esse seja uma boa pedida para mim.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Esse livro causa reflexões sobre um futuro que talvez não esteja tão longe e que todos tememos ao ter consciência dele. Não sei o que faria no lugar de Nora, ficar com a água para si ou dividi-la? A moral nesta hora não costuma contar. O ser humano é capaz de tudo e em situações de desespero são capazes de coisas horrendas.
    Gostei muito dessa dica de leitura, quando puder irei coloca-lo na minha lista, mas antes preciso tipo assim... Ler metade de centenas de livros xD
    Abraços

    ResponderExcluir
  16. Eu gosto de distopias, não ainda não sei se esta eu vou ler.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  17. Não curti muito a história do livro não, Karini. Acho que o fato de não gostar de distopias ajuda, a única que conseguiu me despertar interesse foi a seleção, acho que mais pelo romance do que pela distopia em si.

    ResponderExcluir
  18. Oi Karini!
    Eu gostei das distopias que li, mas não foram muitas e tenho mais interesse em outros livros antes de Memória da água. Até gostei da proposta da história, mas o livro não entrou para minha lista de prioridades.
    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Olá Karini,
    Já tinha visto esse livro em no face porque vcs blogueiros receberam da editora um pingente lindo junto com o livro né?! Ai chamou atenção, mas não tinha lido sinopse nem resenha dele... Gostei! É um livro que eu leria sim... Gostei da história, a questão da água é uma realidade... Serve até como conscientização também! Adorei sua frase: "Vivemos passivamente enquanto não necessitamos de algo fortemente para viver"
    Um super abraço

    ResponderExcluir

Comente, ficarei muito feliz em saber sua opinião!!!