Resenha #223 - Rich e Mad - William Nicholson - Galera Record


Título: Rich e Mad
Autor (a): William Nicholson
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501098566
Ano: 2015
Páginas: 304


Livro recebido em parceria com a editora


Sinopse: Maddy Fisher decidiu se apaixonar. E não se trata de qualquer tipo de paixão: precisa ser louca, envolvente, absoluta. E, aos 16 anos, acredita que é só questão de se soltar um pouco mais. Quando Joe, colega da turma de teatro, começa a lhe mandar e-mails, ela sente que chegou a hora. Do primeiro amor, primeiro beijo, primeiro… tudo. Joe está saindo com Gemma. Mas só porque não quer ferir os sentimentos da menina. Afinal, eles namoram desde sempre. Logo logo, Mad vai poder contar a todos que tem um namorado. O virtual vai invadir o mundo real. E ela vai deixar de ser a esquisitona solitária: com amigas, mas sem par.
Rich Ross também está em busca de amor. E vai fazer acontecer! O problema é que em meio ao preconceito, mentiras, pornografia, literatura, o sentimento se torna bem difícil de encontrar. Afinal, amor verdadeiro pode vir nos mais diversos formatos. É possível que uma pessoa que ele nunca imaginou sob essa ótica seja a que vai tocar seu coração?
Os caminhos de Rich e Mad estão prestes a se entrelaçar. Com honestidade e delicadeza, a história clássica do ‘garoto encontra garota’ ganha um novo significado, agora repleto de descobertas e de aprendizado.
Apaixonar-se significa pensar em alguém o tempo todo. Apaixonar-se significa querer a felicidade do outro mais que a própria. Apaixonar-se significa querer que alguém te conheça como você realmente é.

Rich e Mad é um daqueles livros que possui alguns indícios que nos levam a crer que a história será perfeita - uma sinopse cativante, um jovem casal descobrindo o amor e uma capa encantadora. Porém, apesar da história ser envolvente, ela não chega a ser arrebatadora. É uma história singela e em alguns momentos excessivamente inocente, talvez seja por este motivo que para mim se mostrou tão surreal.

Rich e Mad são os protagonistas dessa história, e apesar de estudarem no mesmo colégio, eles não são amigos e não possuem muito em comum, pelo menos é isso que conseguimos perceber nas primeiras páginas do livro. Com a evolução da história ficam evidentes suas similaridades, os dois passam a interagir e percebem que é muito fácil manter um diálogo entre eles.

De um lado temos Mad, uma garota de 16 anos, que resolveu que é o momento de viver uma grande paixão. Do outro lado temos Rich, um garoto diferente dos demais, que sonha em conquistar a garota mais bonita do colégio. Rich é visto pelos companheiros do colégio como "estranho", pois ele foge dos estereótipos para garotos de sua idade, para vocês entenderem, ele não possui aparelho celular, e gosta de conversar com seu professor, que tem a fama na escola de ser gay.

Mad é a ponte entre Rich e Grace, a menina mais bonita do colégio. E mesmo acreditando que o rapaz não tem a mínima chance com a amiga, ela não liga em fazer a ponte entre os dois. Rich é uma graça, ele é inteligente e divertido de uma maneira única, porém Grace o esnoba de forma cruel. No decorrer da trama percebemos que ela é uma personagem com sérios problemas de dependência emocional, e possui uma visão deturpada do que é saudável em uma relação a dois. 

Grace é uma personagem secundária que tem uma participação importante em toda a trama, a história dela está interligada com a de Mad e com a de Rich, e suas atitudes acabam aproximando os dois e transformando a recém-amizade em algo maior. Rich e Mad acabam construindo sonhos juntos, de forma sútil os sentimentos entre os amigos começam a mudar. Existe cumplicidade, amizade, sutileza, descobertas, tudo acontece entre eles de forma tão simples e natural que os personagens quando percebem já estão apaixonados.

Engraçado como fazer de sua vida uma bagunça completa e se sentir um completo perdedor te obriga a finalmente agir.

No geral, eu gostei do livro. William Nicholson nos apresenta uma história de singela de descobertas, de amizade, da descoberta da sexualidade e de primeiro amor. Porém, demorei horrores para conseguir concluir a leitura desse livro, algo não fluía, a leitura empacou. Fiquei sinceramente muito chateada por conta disso, porque queria gostar do livro, e isso me frustrou. Cheguei ao ponto de deixar parar a leitura, e retomá-la depois de alguns dias acreditando que o problema estava comigo, mas na segunda vez a leitura também não fluiu, e foi com muito esforço que consegui terminar a leitura de Rich e Mad.

Ao fazer a autópsia dessa situação, porque eu precisava entender o motivo de tanto sofrimento pra ler esse livro, o único motivo que encontrei para "culpar" é a narrativa. Não me adaptei ao estilo de narrativa do autor em terceira pessoa com a perspectiva alternada entre os dois protagonistas. O problema da narrativa em terceira pessoa é o distanciamento, não consegui me envolver com os personagens infelizmente. Acredito que embarquei nessa história com altas expectativas, não esperava algo melhor, só esperava algo "diferente".

Um ponto forte do livro é que ele está longe de ser clichê, ele foge do convencional, mesmo se tornando excessivamente inocente em determinados momentos, é um livro reflexivo, leitura obrigatória para quem aprecia uma linda história de amor!

Então, você não está num bom momento. Lide com isso. A vida não é sempre um mar de rosas.



24 comentários:

  1. Confesso que não me interessei pelo livro! Lendo a sinopse, dá a entender que o livro não tem nada marcante. Aparenta ser apenas mais um livro a ser lido. Portanto, prefiro não me arriscar na leitura. Além disso, fiquei com um pé atrás (talvez os dois) ao saber que a narrativa não é fluída!

    ResponderExcluir
  2. A história parece ser muito fofa e bonitinha, mas contendo temas importantes. Deve ser um bom livro pra turminha adolescente, principalmente. Que pena que a leitura não fluiu pra vc e assim não pôde aproveitar melhor o livro.

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia o livro até uns dias atrás qdo vi a resenha dele em outro blog e ameii a capa! Achei tao fofa e me pareceu que seria um lindo romance.
    Também acho que qdo a historia fica mto inocente, parece algo surreal, mto fora da realidade mesmo.
    Faz tempo que nao leio romances de primeiro amor, de descobertas... acho que vou gostar.
    Uma pena nao ter se adaptado ao modo que é narrado o livro, isso ja aconteceu comigo e eu abandonei viu?! Mas com esse eu quero tentar, ainda mais que falou que o livro nao é nada clichê.
    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Oi, Patty! O livro não faz muito o meu estilo, mas gosto de leituras assim de vez em quando. Não tenho tanta dificuldade com a narrativa em terceira pessoa, mas concordo que, em certos casos, a narrativa em primeira pessoa funcionaria melhor. Deve ter sido isso mesmo que te atrapalhou um pouco, fazendo com que você não se envolvesse tanto com a história. Acontece, né?

    ResponderExcluir
  5. Eu realmente achei que o livro seria bom, mas pelo visto não é isso, pelo menos ele não chega a ser cliche, e acho que por esse motivo eu até que o leria se tivesse a oportunidade.

    ResponderExcluir
  6. Oi,
    A capa é muito fofa, a premissa da história promete. Adorei a resenha, e apesar de não ser um livro com classificação 5 estrelas, me interessei. Gostei principalmente de não ser um clichê. A leitura parece ser leve, bem gotosa. Uma pena que não superou tanto suas expectativas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Adorei sua resenha.
    Como romance é meu gênero preferido, fiquei super empolgada em relação a história desse livro depois de ler a sinopse e resenha, parece ser um romance bem clichê, adicionei o livro em minha lista de leitura e pretendo ler.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Patty.
    Eu gosto de livros com narrativas em terceira pessoa, principalmente quando há muitos personagens, o que não é o caso. Em um romance com uma trama mais simples, como esse, realmente a narração em primeira pessoa se faz melhor, afinal, permite uma maior interação com os personagens, entender seus problemas, suas dúvidas...
    De uma maneira geral, acho que dificilmente daria uma chance ao livro. Não só pela narrativa que não cativa, mas por todo o enredo que não me pareceu nada além do que já vemos por aí.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  9. Uma pena que Rich e Mad não te conquistou como esperava, pois ele realmente tem uma proposta que nos faz achar que será uma leitura ótima =/
    Desde quando vi a primeira resenha desse livro me interessei por ele, pois parece ser uma história bonita e perfeita para quem curte livros do gênero, mas admito que agora me preocupei de talvez, a leitura não fluir para mim como aconteceu com você.
    Espero que não seja o caso.
    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Oi Patty!
    A sinopse é boa e eu gosto desse estilo de leitura, mas já não estava tão interessada por essa história. Saber que a narrativa em terceira pessoa não é muito envolvente e que o romance é meio irreal não me convenceu a ler...
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Este é um daqueles livro que so de bater o olho na capa em uma livraria da vontade ler , fiquei bastante curiosa e empolgada com a historia e e uma pena que a historia não tenha fluido pra voce e isso faz com que eu fique com um pe atras , mas vou colocar na minha lista de leitura , pois a capa realmente me deixou louca pra ler.
    bjos

    ResponderExcluir
  12. Patty,estou querendo muito ler esse livro e embarcar nessa história singela ,do primeiro amor e das doces emoções das primeiras descobertas ,conhecer Rich,Mad e Grace personagem essa que acabará aproximando os dois,pena que a leitura não tenha fluido tão bem para você devido a narrativa em terceira pessoa,isso já aconteceu comigo em outros livros,mas mesmo assim ainda quero ler e ver o que acontece.Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    A primeira vez que vi o livro fiquei muito interessada e curiosa sobre a historia e o livro parece legal gostei de temos uma historia nova, mas a historia não me conquistou e acabaria ficando uma leitura arrastada !!

    ResponderExcluir
  14. Eu confesso que tinha mais esperanças em relação a esse livro e ler sua resenha mostrou que talvez eu var me decepcionar ao ler esse livro, gosto de livros que vão ficar marcados na minha memoria e esse livro parece que vou esquecer de uma semana kkkk Olha vou ver se darei uma chance a esse livro e obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  15. Como você disse no começo esse livro tem tudo para ser iguais aos lançamentos de hoje em dia, porém a capa é perfeita e não encontrei algo que fosse diferente nele, mais dá até aquela vontade de ler e conhecer o enredo e os personagens. Eu só lendo o titulo esperava um chick-lit e tanto mais infelizmente descobri que não chega muito perto disso.

    ResponderExcluir
  16. Oi Patty, tudo bem? Essa capa é tão fofinha e parece ser uma história de amor bonitinha e fofa, mas acho que não leria. Esses livros de romance muito inocente me irritam um pouquinho e o que você disse sobre a leitura ter sido arrastada me deixa com um pouco de receio. Entretanto, os personagens parecem ser interessantes, principalmente o Rich.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  17. Oi Patty, tudo bem? Li recentemente o livor e achei ele bom. Não é uma história sensacional sabe, mas ela confronta vários problemas sérios que pode acontecer na adolescência. Curti bastante e recomendo!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  18. Oi Patty! O que é essa capa?! <3 sério me casaria com ela, haha, amei a premissa do liro e com essa resenha só me interessei mais pela leitura, um bom romance nunca sai de moda e eu amo isso, com certeza entro pra minha wishlist! Bjos

    ResponderExcluir
  19. Achei a capa do livro super fofinha!!
    Rich não usar o celular é um ponto positivo do livro, na minha opinião, porque é quase impossível ficar sem celular nos tempos atuais e eu fico curiosa para saber como alguém consegue se virar sem um no dia a dia.
    Achei a história bem interessante e fiquei com muita vontade de ler.

    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Oi
    Faz tempo que não leio um YA com esse amor um tanto inocente e primeiras descobertas.É uma pena que a leitura não tenha fluido tão bem,as vezes isso também acontece comigo,eu gostaria de gostar de tal livro mas algo impede.Pelo menos a leitura foi proveitosa e tu conseguiu absorver alguma coisa.Achei a capa super fofa e quem sabe mais pra frente eu o leia.

    ResponderExcluir
  21. Tenho vontade de ler ele sim, amo livros de adolescentes, principalmente, esses mais fofos, singelos, leves.
    a capa é uma coisa de linda, né?!
    bjs

    ResponderExcluir
  22. Narrativa empacada é osso, porque sempre me dá vontade de largar e eu detesto fazer isso. Ler em terceira pessoa não é algo que me incomoda, então pode ser que ele funcione para mim. E saber que foge do convencional é um ponto forte, o que me faz ter vontade de ler. Adorei a capa.

    ResponderExcluir
  23. Quero ler o livro, pois acho que vou gostar, parece abordar vários temas diferentes, com muito romance e fofurice, ao estilo John Green :D
    Gostei da sua resenha, pena que a leitura não foi uma das melhores. Abraços !

    ResponderExcluir
  24. Oi!
    Esses romances mais inocentes me lembram muito as historias que eu escrevia com uma amiga minha na adolescencia, tipo muito (sim, nao gosto de romances mas escrevia eles ahahahaha). Eu não pretendo ler, mas pretendo dar de presente pra essa amiga, que ainda hoje em dia ama romances. Acho que ela aproveitará a obra mais do que eu.

    ResponderExcluir

Comente, ficarei muito feliz em saber sua opinião!!!