Resenha #253 - O Destino - Lene Kaaberbol - Editora Fundamento

Título: O Destino
Série: As Crônicas da Verdade
Autor(a): Lene Kaaberbol
Editora: Fundamento
Páginas: 184
ISBN: 9788539504855
Ano: 2015


- Livro recebido em parceria com a editora.


Sinopse: "Olhe para mim! Olhe nos meus olhos! Eu sei de tudo! Eu conheço você! - e, como sou uma Shamer, eu a forcei a envergonhar-se do que viu." Dina é uma Shamer. Assim como Melussina, sua mãe. Elas têm o dom de olhar nos olhos de uma pessoa e descobrir os segredos mais profundos. Assassinatos, roubos, grandes delitos ou pequenos deslizes nada fica escondido delas, pois conseguem ver a verdade mais profunda, até mesmo aquela que não se quer revelar a ninguém. Ela possuía dom e não podia se livrar dele. Mas Dina vai precisar encarar seu destino e assumir sua habilidade, se quiser salvar sua mãe e a si mesma. Quando Nicodemus, herdeiro legítimo do trono de Dunark, é injustamente acusado do assassinato da própria família, lorde Drakan leva Melussina para arrancar uma confissão dele. O que ninguém desconfia é que Drakan pretende usar as Shamers em benefício próprio, arrastando Dina para uma terrível conspiração. A jovem precisará de toda a sua coragem para descobrir a verdade, encontrar aliados e vencer os perigosos monstros escondidos no Covil do Dragão. Mas quem ousaria ajudar uma temida Shamer? E que mistérios existem atrás das muralhas do sombrio castelo? 




Fala galera, tudo bom?

A resenha de hoje é do livro O Destino, o primeiro da série As Crônicas da Verdade publicado aqui no Brasil esse ano pela Editora Fundamento, ao olhar para capa e ler a sinopse logo fiquei intrigado pela premissa do livro e solicitei para resenha. Esse é um excelente exemplo de um livro com uma ótima premissa, mas que foi muito mal executado.

O Destino vai contar a história de Dina uma Shamer de 11 anos. Shamer é o nome dado a uma pessoa que possuí um dom incrível, mas ao mesmo tempo terrível. Quando se olha nos olhos de uma Shamer, todos os seus segredos são revelados nada fica escondido depois de encara-lá. 

Por conta desse seu Dom, a maioria das pessoas tem receio de olhar para Dina, ela passou a sua vida inteira sendo evitada pelos moradores do vilarejo, e os mais amigáveis mesmo assim, não eram capazes de olharem para seus olhos.

Dina herdou o dom de sua mãe, que também é uma Shamer. E em certa noite, sua mãe é convocada a Dunark para resolver um assassinato. A família real fora assassinada, e um jovem chamado Nico de 17, herdeiro legítimo do trono fora encontrado no local, desmaiado, banhado de sangue e com a arma do crime nas mãos. Era bem óbvio quem fora o culpado das mortes, mas o rapaz não se lembrava de nada e ao olhar nos olhos da Shamer, foi constatado de que ele não fora o culpado do assassinato. Mas Lord Drakan não ficou muito satisfeito, arrastada Dina e a envolve numa terrível conspiração, onde não só a sua vida, mas a vida de sua mãe está em risco. Será que vão conseguir provar que Nico não foi de fato o assassino?

Bom, uma premissa dessa deixa qualquer pessoa curiosa, não é mesmo? Um mundo com dragões, pessoas com poderes, entre eles possuírem a habilidade de conhecer todos os segredos mais profundos com um simples olhar. É instigante. Mas o desenrolar da história foi bem decepcionante.

Em O Destino temos uma narrativa em primeira pessoa pelo ponto de vista de Dina. Acompanhamos todo o desenrolar da história através de seus relatos e isso me incomodou um pouco. Não é de hoje que eu falo que prefiro a narrativa em terceira pessoa, mas no caso desse livro, Dina fica um tanto quanto por fora da maioria das coisas que estão acontecendo e eu senti muita falta de ter uma visão mais ampla. A leitura é muito rápida, e as páginas voam! A narrativa é muito simples, eu li o livro em duas sentadas.

Temos uma história onde pessoas estão brigando pelo poder, e a autora não soube trabalhar isso muito bem. Drakan faz de tudo para desmoralizar as Shamers, já que elas sabem da verdade, mas tudo que aconteceu, ou como aconteceu foi um tanto quanto meh. Em nenhum momento você ficava com aquela sensação de receio/medo do que pode vir a acontecer com os personagens, à maioria das cenas e twists foram bem previsíveis. Os personagens são bem simples, assim como a narrativa. Dina como protagonista foi a que teve um maior destaque, mas mesmo assim não me convenceu muito. 

Esse é um bom exemplo de livro, onde o autor tem uma ótima ideia, mas peca em executar. Em resumo, O Destino é um livro:


Por hoje é só.
Forte abraço e até a próxima! 


20 comentários:

  1. Nossa, um livro meh é bem triste. Ainda mais quando ele prometia tanto.
    O gênero fantasia não é meu favorito, mas até eu fiquei curiosa com a premissa desse livro, que parecia ter muito potencial. Infelizmente mau desenvolvimento estragou a trama. Chega a ser triste.
    Não curto muito narrativas em primeira pessoa em determinados enredos, nesse em questão acho que teria sido melhor que a terceira pessoa fosse usada, já que a personagem Dina não parece estar sempre no foco da trama e limita demais a visão do leitor.
    Narrativas simples muitas vezes são envolventes, mas uma coisa é a simplicidade na narrativa, outra nos personagens centrais da trama. Havendo uma disputa pelo poder, conspirações e tudo mais, esperava que os personagens fossem mais profundos e complexos do que aparentam pela sua resenha. Onde está a graça de uma premissa como essa se nada é feito de maneira satisfatória, de modo que o leitor fique com os nervos a flor da pele? Não faço ideia de como serão os próximos volumes caso sigam a mesma linha deste.
    Lamento que o livro tenha te decepcionado, mas é um dos riscos de ser um leitor.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Que bad quando acontece isso né?
    Também não me convenceu.
    Sem stress, leituras melhores virão.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  3. Gabriel, As Crônicas da Verdade era uma das séries que eu não conhecia. Mas, sua premissa realmente é chamativa e envolvente. Me interessei logo de cara quando vi o termo Shamer e o seu respectivo significado. Uma história de vida sofredora sem olhos nos olhos, com certeza, deve ser bastante difícil para Dina, apenas uma jovem. É uma pena que o autor se perca na história, não dando um bom resultado ao livro.

    ResponderExcluir
  4. O conteúdo que este livro contem é um triste o que basicamente eu amo amo narrativas desse tipo,o que não me agradou muito é o gênero fantasia, mas aparenta ser bom As Crônicas da Verdade mas a capa principalmente deixa a desejar e esse não um titulo fantástico em que a pessoa lê e diz" Ainn que titulo ☺" Mas é razoável! Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Gabriel! Esse gênero de fantasias não me interessa nem um pouco, mas em alguns casos a sinopse até me atraí. No caso desse livro nem isso me despertou interesse, não me convenceu!

    ResponderExcluir
  6. Oi Gabriel! Confesso que apenas pela sinopse o livro não me chamou muito a atenção, e fiquei feliz em acertar depois de ler a resenha. Ainda mais pela falta de construção em alguns pontos da narrativa, apesar de simples. Realmente é um livro que tinha tudo para ser bom, mas o autor não soube desenvolver sua estória como pude perceber.
    Enfim...não é um livro que eu leria. :/
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Gabriel,olhar nos olhos e descobrir os segredos mais profundos é um detalhe muito interessante ,que me chamou atenção na sinopse ,apesar de não ser meu estilo preferido.Que pena que a sua execução não foi a altura da premissa.Fiquei a principio com pena de Dina que tem apenas 11 anos e que devido ao seu dom ou poder ela passou a ficar solitária no vilarejo que morava.Essa trama parece tão legal mãe e filha correm risco de vida para desvendar um assassinato e descobrir o verdadeiro assassino.Pena que foi narrado em primeira pessoa no caso Dina ,pois assim realmente ficamos com o campo restrito de visão. Pena que o desenrolar das cenas foi previsível.Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia este livro mais fiquei desanimada, que pena porque a história prometia mas isso acontece mesmo sinopse maravilhosas e enredo nem tanto.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Cara a história seria tudo de bom se tivesse sido bem desenvolvida, não tenho muito problemas com narração em primeiro pessoa mas gosto mais quando tenho a visão de dois ou três personagens, essa sua resenha foi aquele caso de que vamos com muita sede ao pote e quebramos a cara >.< Sabe que eu acharia que ficaria mais legal se tivesse o ponto de vista da mãe, as duas tendo o dom ia ser melhor na minha opinião.

    ResponderExcluir
  10. Quando li a resenha já fiquei querendo ler, mas só de ver as duas estrelinhas que você deu para o livro já desanimei. Pelo que você falou é um livro bem fraco e mal desenvolvido. Com certeza não vou ler.

    ResponderExcluir
  11. Olá, Gabriel.
    Uma pena que, apesar da boa premissa, a obra não convenceu. Um mundo mágico e com dragões deixa qualquer leitor curioso. Uma pena que a narrativa simples, os personagens pouco profundos e o não aproveitamento das conspirações tenham estragado a qualidade da obra.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de outubro. Serão seis livros para três vencedores.

    ResponderExcluir
  12. Oie Gabriel,

    Adorei a capa do livro e fiquei intrigada de início também, fantasia nos chama a atenção logo de cara. Mas que pena que a autora não soube guiar a história. Na minha opinião, poucos tem o dom de escrever uma boa fantasia e mesmo tendo o dom, exige muita habilidade na escrita, no desenvolvimento e criação, enfim, em tudo!
    Que pena que o livro não surpreendeu. Não lerei porque não gosto de me decepcionar com fantasias, já que é meu gênero favorito.

    Beijos!
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Eu adoro livros quando as pessoas tem poderes, e dragões sempre impressionam os leitores, é uma pena que voce não tenha gostado tanto mas eu acho que irei adorar esse livro, achei a ideia do livro não muito comum, e a capa ficou fantastica. Eu adoro os livros da editora fundamento.

    ResponderExcluir
  14. Oi Gabriel!
    Primeiro de tudo, que capa é essa?! Não deu pra mim sério, concordo com você, a premissa do livro é bem interessante, e é muito ruim quando o autor não consegue aproveitar isso, não costumo ler livro sobre dragões, na verdade acho que ainda não li nenhum, mas tinha tudo pra ser uma ótima obra, é péssimo quando somos surpreendidos assim com um livro, bjos.

    ResponderExcluir
  15. Que pena que a história do livro não te agradou tanto, realmente é uma pena o autor ter uma ótima ideia em relação a história, mas não saber escrever, e por esse motivo não fiquei muito interessada por esse livro, pois acredito que eu não ia gostar muito da leitura.

    ResponderExcluir
  16. É um livro interessante, mas não faz meu estilo, mais um livro que nao leria.

    ResponderExcluir
  17. Fiquei com vontade de saber quem é o assassino da família real. Mas eu não leria o livro agora.

    ResponderExcluir
  18. A série As Crônicas da Verdade é nova pra mim e realmente não conhecia.
    Não gostei da capa do livro O Destino, mas a sinopse me surpreendi, pq fiquei interessada.
    Mas já vi que nao foi mto feliz nada escolha ne? hehe.
    Pelo visto a escolha da narrativa foi o erro aqui, por terem escolhido um personagem que não está a par de tudo, ficamos apenas com a sua visão parcial e prejudica a história.
    Como vc disse, é necessário uma visão mais ampla.
    Uma pena, mas nao devo ler.
    Beijos.

    https://meumundinhoficticio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Gostei da série, mas como ainda é o primeiro volume, vou esperar mais um pouco antes de sair atrás dele. Uma pena que você não gostou muito.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  20. Eu vi o filme que ficou com o nome de A Herdeira e fiquei louca pra ler o livro e foi cansativo achar o nome do livro que é Skammerens datter e aqui no Brasil ficou esse O Destino .... Amei o filme , ja vou correr atras dos livros xD
    Talvez o filme tenha saído melhor que o livro, xD

    ResponderExcluir

Comente, ficarei muito feliz em saber sua opinião!!!