Resenha #290 - Outro Dia - David Levithan - Galera Record

Título: Outro Dia
Série: Todo Dia
Autor(a): David Levithan
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501106834
Ano: 2016

- Livro recebido em parceria com a editora.

Sinopse: Um dos mais inovadores autores de livros jovem adulto e o primeiro a emplacar uma trama gay na lista do New York Times, David Levithan retoma a sua mais emblemática trama em "Outro Dia". Aqui, a já celebrada — com várias resenhas elogiosas — história de "Todo Dia" é mostrada sob o ponto de vista de Rhiannon. A jovem, presa em um relacionamento abusivo, conhece A, por quem se apaixona. Só que A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Mas embarcar nessa paixão também traz desafios para Rhiannon. Todos eles mostrados aqui.

Fala galera, tudo bom? :D

Não sei se vocês sabem, mas o David Levithan é um dos meus autores favoritos da vida, antes da leitura de Outro Dia, eu tinha lido apenas o livro Todo Dia e amei aquela história com todas as minhas forças. Foi um livro que eu comecei às 6 da manhã de uma segunda feira, e terminei a leitura retornando para casa às 21h. Foi um livro que me fez chorar, me fez rir e me fez refletir sobre inúmeras coisas. Antes de embarcar naquela aventura eu não fazia ideia do baú de tesouros que eu estava perto de encontrar, ele vai muito além do que aparenta, e é um livro completamente diferente do que eu já li, inclusive se você quiser saber em mais detalhes minha opinião sobre o livro, basta clicar aqui. A resenha não foi postada aqui no CdT e sim, lá no meu quase falecido blog Um papo entre páginas. 

Mas Gabriel, por que você está falando desse livro? Para aqueles que não sabem, Outro Dia é a mesma história de Todo Dia, mas contada pelo ponto de vista de outro personagem, nesse caso a Rhiannon. Acredito que vocês já tenham se deparado com esse tipo de coisa por ai, certo? Pois bem, Outro Dia tem certo diferencial em relação a ser "apenas a mesma história contada por outro personagem". E não, não estou falando isso por que o David Levithan é um dos meus autores favoritos. Ao contrário de Todo Dia, Outro Dia não me conquistou, não me agarrou e me fez debulhar em lágrimas, não mexeu comigo da mesma forma que Todo Dia, e não ganhou uma vaga nos livros favoritos da vida, mas isso não quer dizer que o livro não seja bom, ou que não tenha coisas boas que nos façam refletir, ou que outra pessoa possa amar tanto quanto eu amei Todo Dia. 

Bom, Outro Dia vai contar a história de Rhiannon, uma jovem de 16 anos. Sua vida é uma grande rotina, ela vai pra escola, vive aquela vidinha mais ou menos com o seu namorado, Justin que não é um cara lá muito legal com ela (para não chama-lo de coisa pior), tem seu grupo de amigos e é isso. Só que, em um determinado dia, Justin aparece de um jeito diferente e a convida para um passeio na praia. E esse dia, foi o dia perfeito, foi o dia em que Justin se tornou o namorado que Rhiannon sempre desejou o dia em que o Justin deixou de ser um péssimo namorado e uma péssima pessoa. Mas no dia seguinte ele não se lembrava daquele dia, e no dia seguinte ele voltou a ser o mesmo idiota de sempre. 

Acontece que naquele dia perfeito, não era Justin em seu corpo, e sim "A". "A" é um ser que acorda todos os dias em um corpo diferente. "A" não tem gênero, ou seja, "A" não é um menino, nem uma menina, "A" apenas existe. Sua única regra é nunca interferir na vida de seu hospedeiro, "A" não sabe por que é assim, ou se existem outras pessoas como ele, mas "A" não acha justo abusar do que não é dele (a) só por que vai embora ao dia seguinte. Acontece que, ao estar no corpo de Justin, percebe o quão ruim Justin é para Rhiannon, e resolve presenteá-la com um dia inesquecível, o que "A" não esperava era se apaixonar por ela. 

Essa é a premissa básica da história. Tanto quanto de Todo Dia quanto de Outro Dia, a diferença e que em Todo Dia acompanhamos a história e tudo o que está acontecendo na vida de "A" e em Outro Dia a vida de Rhiannon. "A" é uma personagem carismática, incrível e inesquecível. Você fica completamente vidrado na história desse ser misterioso, você se preocupa você se apaixona. Rhiannon por outro lado, não. Perdi as contas de quantas vezes tive vontade de entrar no livro e gritar: Menina acorda pra vida!!!!.

Acontece que não é assim tão fácil. Rhiannon e Justin namoram há um ano, e ela não percebe que está em um relacionamento abusivo. Justin não é apenas um namorado distante, ele é frio e machista. Rhiannon é jovem e inocente, ela acha que o que ela tem com o Justin é amor, que eles são perfeitos um para o outro, e tenta justificar e entender tudo que o Justin faz, e tenta se agarrar a qualquer boa lembrança que tem deles, e se contenta com isso. Ele é tóxico pra ela, mas ela demora a perceber isso. 

"- Por que se incomoda tanto comigo e com Justin? - desafio. - Por quê? Ele não me bate nem me maltrata. E também não me trai. Por que não consegue simplesmente aceitar que vejo coisas nele que talvez você não veja? E que talvez você não veja porque o inferniza o tempo todo?
 - Agora sou eu que infernizo? Legal. Então você, minha amiga é a garota assustadora. Ele não me bate nem me maltrata. E não me trai. Dá pra você se ouvir? Se esses são seus padrões; Ei, ele não me deu um soco, então deve estar tudo bem!, isso me assusta! E me faz pensar que, em algum momento, você usou essas justificativas. Ah, está muito ruim agora, e ele tem sido um horror... mas, pelo menos, não está me batendo. Tenha um pouco de respeito por você mesma, está bem? "

A Rebbeca, amiga da Rhiannon, me representou nesse quote. Essa é a realidade de tantas pessoas hoje e dia, essa negação, essa humilhação diária, esse sentimento de que tudo vai ficar bem no final, é assustador. O fato de essas pessoas estarem conformadas com isso, de não enxergarem o que é certo e o que é errado, de aceitar tudo em nome do amor. Mas que amor é esse? Para mim, isso não é o amor.

Quando Rhiannon conhece "A", tudo modifica. Por ele mudar de corpo todos os dias, por ele não ter amigos, por ele ter vivido muitas coisas, por ele ter conhecido tantas pessoas e vivido milhares de vidas diferentes, A trás a mudança na vida de Rhiannon e aos poucos vamos vendo o relacionamento deles sendo desenvolvido. 

Ler esse livro foi complicado. Ao contrário de Todo Dia, onde tínhamos uma narrativa fluída e deliciosa de ler, aqui temos um livro difícil de engolir. Não é por conta da escrita do David, e sim por todo o drama que está envolta da Rhiannon, para nós, leitores é muito fácil de perceber o quão errada é toda aquela situação, mas para ela não. Eu lia cada página em que o Justin estava presente ou quando Rhiannon estava falando ou pensando nele, com um tédio absurdo, eu não queria saber dele, mas ele é tudo para ela. 

Como eu disse esse não é o livro da minha vida. E provavelmente não vai ser de muitas outras pessoas, principalmente levando em conta as resenhas que eu li lá no Goodreads, mas está longe de ser uma leitura que não podemos tirar alguma coisa. Como sempre, David Levithan não escreve uma coisa por nada. Ele tem algo a nos dizer, algo para que nós leitores possamos pensar mais a fundo, talvez esse livro ajude alguém a refletir sobre o tema abordado, ou até ajudar a perceber que está em uma situação parecida, quem sabe.

Por hoje é só.
Se alguém por aí também leu o livro, me conta nos comentários!
Forte abraço!




14 comentários:

  1. oi ^^
    pow eu não li esse livro pq nem sempre gosto de ler a mesma história sobre o ponto de vista de outro personagem, quase sempre acabo odiando o livro. por isso no momento não leria e pela sua resenha vou adiar a leitura por um longo tempo.
    quase certeza que não vou gostar xp (sou chata).Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  2. Amei Todo dia também, ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas sei que sera perfeito do mesmo jeito, pois é a mesma história em outro ponto de vista, não tem o que ser ruim, alias, é David Levithan , ele arrasa em tudo que escreve

    ResponderExcluir
  3. Olá Gabriel,

    Tenho lido várias resenhas sobre os dois livros, e estão bem recomendados. Eles estão na minha lista de leitura desse ano, mas já tive um primeiro contato com a escrita do David Levithan no livro Will & Will em parceria com o John Green e gostei bastante.

    Parabéns pela resenha! =)

    http://www.booksimpressions.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Já li alguns livros do David Levithan e ele sem dúvida é um autor que gosto muito, ainda não pude ler Todo Dia, mas quero muito fazer isso logo, pois só vejo elogios quanto a esse livro. Apesar de não ter lido Todo Dia, eu já tinha um pouco de receio quando vi que haveria um livro contando a história sobre outro ponto de vista, para mim isso é muitas vezes como dar um tiro no escuro, pois nem sempre o livro vai ter o mesmo impacto que seu antecessor teve no leitor, que parece ter sido o caso. Acho que acabaria não gostando do livro, ao menos de boa parte dele, já que eu não conseguiria suportar a protagonista e seus devaneios sobre o namorado abusivo dela, o que infelizmente é bem comum na vida real. Enfim, não sei se lerei ou não Outro Dia, tudo dependerá da vontade e da minha experiência futura com Todo Dia.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Apesar de todo mundo falar tão bem de todo dia eu nao tenho mta vontade de ler, muito menos de outro dia. Se eu ganhasse leria, mas comprar mesmo eu não pretendo não.

    ResponderExcluir
  6. Estou esperando muito desse livro, mas por ser uma história que é praticamente a mesma daquele outro, sei que não vai ser tão bom quanto o primeiro. Mesmo assim quero ler. Acho que uma nova visão da história cai bem. Mesmo não sendo tão emocionante e bom quanto a primeira versão é uma ideia geral, o outro lado da história e gostei disso. Pretendo ler em breve e espero que goste.

    ResponderExcluir
  7. Teve uma época em que todo mundo estava lendo Todo dia, então eu fiquei curiosa e adicionei à minha lista de desejados mas com o tempo acabou que eu desanimei e perdi a vontade de lê-lo. Vi muitas resenhas que dizem que o livro é maravilhoso mas o final nem tanto, parece que fica em aberto, né? E isso fez com que eu perdesse o interesse. Antes de ler a sua resenha eu pensava que Outro dia seria uma continuação ou um spin-off, mas sabendo que é a mesma história pelo pdv de outro personagem ainda não me fez querer ler o primeiro livro. :/
    Quem sabe um dia eu dê uma chance p ele, né? O meu problema é mesmo com o tal final em aberto!

    ResponderExcluir
  8. Eu ainda não li Todo dia.
    Mas pelo que você descreveu parece ser muito bom, é difícil para pessoa que vivem em relacionamentos abusivos, que aquilo que está acontecendo não é normal, não é por que ele não te bate que isso significa que ele não está te maltratando, e fazendo o que não deveria.
    Levando em consideração o fato que ao tentar ajudar aquela pessoa, muitas vezes saímos como errados.
    Eu nem li outro dia, mas ja estou com raiva da personagem, mas quem sabe como funciona o coração dos outros?
    Não eu com certeza, eu acredito que essa leitura vá ajudar muitas pessoas que vivem em relacionamentos parecidos, a acordar para a vida.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  9. Oii!
    Normalmente eu não gosto de livros que contam uma mesma história em outro ponto de vista de outro...Acho que se um livro é dividido sob várias perspectivas fica super interessante, mas um livro inteiro novo...fica muito deja vu! Já li alguns assim como Belo Desastre/Desastre Iminente e nunca gosto do segundo como gosto do primeiro!

    Beijos,
    Giulia | www.1livro1filme.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Ainda não li nada do David Levithan, mas vejo tantos comentários positivos sobre o livro Todo Dia que quero muito ler, gostei bastante da historia e achei o A bem interessante, mas lendo a resenha deu para perceber porque Outro Dia não agradou tanto como o livro contado pelo A, mas se tiver oportunidade quero ler esse livro !

    ResponderExcluir
  11. Oi Gabriel!
    Tenho muita vontade de conhecer o Levithan. Ouço maravilhas a seu respeito. Todo dia está em minha lista de leituras faz muito tempo, e lendo sua resenha de Outro dia, me lembrei que ainda preciso ler o primeiro, rs.
    Acho a abordagem do tema incrível, afinal, hoje em dia o que mais vemos é autores romantizando o amor possessivo...

    ResponderExcluir
  12. Gostei da resenha, mas o livro não me chamou atenção, pois tenho certeza de que não irei gostar, e pelo pouco que li sobre os personagens já sei que ficarei bem irritada com eles.

    ResponderExcluir
  13. Eu confesso que me empolguei mais com os outros livro do David, Todo Dia foi bom, mas não me conquistou, a história é boa, mas estava com tantas expectativas que acho que por isso acabei um pouco decepcionado.
    Achei que esse livro contaria uma continuação da vida de A, não o que aconteceu pelo ponto de vista de Rhiannon, por não ter nada muito surpreendente o livro acaba sendo arrastado, focando apenas no relacionamento abusivo dela e do namorado, enquanto todos tentam a alertar, eu sei que muitas pessoas passam por isso e poderiam perceber como é ruim através dessa leitura, pretendo ler sim por ser do autor, mas irei sem esperar nada, assim fica mais fácil gostar do que lerei.

    ResponderExcluir
  14. Faz muito tempo que estou querendo ler o aclamado livro Todo Dia, mas nunca tive a oportunidade.
    Teus elogios a respeito dele aguçaram mais ainda minha curiosidade.
    Já Outro Dia... Acho que não rola ler. Tenho raiva dessas mocinhas que fazem coisas estúpidas como se fosse normal. Apesar de, assim como você falou, conter a realidade de milhares de pessoas que vivem em um relacionamento abusivo achando que é amor.

    ResponderExcluir

Comente, ficarei muito feliz em saber sua opinião!!!