Resenha #384 - A Rainha de Tearling - Erika Johansen - Suma de Letras

Título: A Rainha de Tearling
Autor (a): Erika Johansen
Editora: Suma de Letras
Ano: 2017
Páginas: 352
Onde comprar:Amazon |Submarino |Saraiva | Americanas

Sinopse: Quando a rainha Elyssa morre, a princesa Kelsea é levada para um esconderijo, onde é criada em uma cabana isolada, longe das confusões políticas e da história infeliz de Tearling, o reino que está destinada a governar. Dezenove anos depois, os membros remanescentes da Guarda da Rainha aparecem para levar a princesa de volta ao trono – mas o que Kelsea descobre ao chegar é que a fortaleza real está cercada de inimigos e nobres corruptos que adorariam vê-la morta. Mesmo sendo a rainha de direito e estando de posse da safira Tear – uma joia de imenso poder –, Kelsea nunca se sentiu mais insegura e despreparada para governar. Em seu desespero para conseguir justiça para um povo oprimido há décadas, ela desperta a fúria da Rainha Vermelha, uma poderosa feiticeira que comanda o reino vizinho, Mortmesne. Mas Kelsea é determinada e se torna cada dia mais experiente em navegar as políticas perigosas da corte. Sua jornada para salvar o reino e se tornar a rainha que deseja ser está apenas começando. Muitos mistérios, intrigas e batalhas virão antes que seu governo se torne uma lenda... ou uma tragédia.


"O Tearling era como um homem que ficara sem comer por tanto tempo que não se lembrava mais de como era estar com fome."


A Rainha de Tearling é o primeiro livro da trilogia escrita por Erika Johansen, também é o primeiro livro da autora, que cresceu e ainda vive em São Francisco. Essa fantasia foi lançada em 2014 lá fora, mas somente foi publicada em Março desse ano pela editora Suma de Letras aqui no Brasil. Existem rumores que o livro será adaptado para o cinema e trará Emma Watson no papel principal, porém ainda não temos uma data prevista. Estou ansiosa para ler a sequência dessa trilogia, e como meu nível de inglês ainda não me permite me aventurar em ler no idioma original, espero que a editora publique rápido os próximos livros.

A Rainha de Tearling é uma fantasia medieval, porém essa história apresenta um diferencial. Ela é uma fantasia medieval que se passa em um futuro distópico. Estranho? Eu também achei, e devo confessar que demorou um pouco para eu conseguir me situar. Em algum momento a civilização que conhecemos hoje desaparece e juntamente com ela toda a tecnologia e avanços da medicina, isso faz com que a humanidade volte a viver em uma era medieval, que os personagens denominam de pós-travessia. Isso porque, os americanos e britânicos se unem em uma travessia pelo mar com a pouca tecnologia que ainda existe em busca de um novo território para habitar. Nessa "travessia", muitos navios afundam e com eles todo o conhecimento adquirido pela civilização.

A catástrofe que vitimou a civilização não é muito explorada nesse primeiro livro e o leitor fica meio que desorientado, temos a consciência que estamos vivendo em uma era medieval, porém a história nos traz vislumbres de tecnologias presente nos dias de hoje, como livros digitais, ou exemplares de J.K. Rowling e Senhor dos Anéis. Espero que nos próximos livros a autora explore melhor esse aspecto da trama, até porque acredito que seja uma parte importante da história para ser deixada de fora. Com a Travessia surgem os territórios de Tearling e Mortmesne, o primeiro apesar do relevo e do território vasto possui menos recursos que o segundo. 

E é nesse contexto que iremos conhecer Kelsea, hoje aos dezenove anos ela é a princesa e herdeira do trono de Tearling. Kelsea viveu reclusa e escondida durante toda sua vida. Ao perceber que sua filha sofria perigo de vida, a rainha, mãe de Kelsea, a enviou para ser criada por pessoas de sua confiança, e somente quando Kelsea completasse dezenove anos a "guarda da rainha" iria escolta-la de volta ao castelo para que ela assumisse o trono. Após a morte da rainha o reino passou a ser governado pelo tio de Kelsea, que não está muito disposto a entregar o poder.

Kelsea sempre soube que era uma princesa e que iria assumir o trono aos dezenove anos, porém muitas outras informações foram omitidas durante sua criação, ela pouco sabe sobre sua mãe, ou qual é e verdadeira situação de seu reino. Então assim que a "guarda da rainha" chega para escolta-la de volta para o castelo a única certeza que Kelsea tem é que a morte está a sua espreita. Conforme ela embarca nessa jornada rumo ao castelo, ela começa a descobrir a verdade sobre sua mãe, seu reino e seus inimigos.

O grande inimigo de Tearling é a Rainha Vermelha, ou a rainha de Mortmesne, ninguém sabe na realidade qual é seu nome, porém sua fama a precede, ela é uma conquistadora, ardilosa e sanguinária, e muitos acreditam que ela seja uma bruxa, pois apesar de estar no poder a mais de cem anos a rainha possui uma aparência jovial. A Rainha Vermelha também está buscando por Kelsea, na realidade ela está mais focada em achar a joia do herdeiro, uma safira azul que a princesa carrega consigo desde que nasceu e que é um dos dois sinais que identifica Kelsea como a herdeira do trono.

Kelsea é uma personagem diferente, fisicamente ela não se considera uma garota bonita, ela foge dos padrões que estamos acostumados encontrar quando rainhas e princesas são descritas, ela é uma jovem normal que a princípio não se importa muito com sua aparência, porém a insistência da autora em tocar diversas vezes nesse mesmo assunto, deixa uma certa dúvida se a Kelsea realmente não se importa em ser "normal". Algo que devemos destacar é que ela é uma personagem forte, que sabe bem qual é o seu papel e que fará tudo para conseguir alcançar seu objetivo.

A Rainha de Tearling é uma fantasia adulta bem diferente das quais estou acostumada a ler, e acredito que por este motivo a narrativa minuciosa se tornou arrastada no começo da leitura, demorei um pouquinho para conseguir me habituar com o estilo de narrativa e com o mundo que estava sendo apresentado pela autora, mas assim que conseguir romper algumas barreiras me deliciei com a história e me envolvi com os personagens, as intrigas e conspirações. 

É válido avisar que esse livro não possui romance, não há um par romântico para Kelsea. Se algumas pessoas se irritam com o fato de algumas fantasias apresentarem um triangulo amoroso, o fato de um livro não apresentar nada de romance me incomodou um pouco. Não que eu acredite que um livro necessite de um romance para ser bom, mas a autora frisou com tanta veemência que a Kelsea não tem o padrão de beleza esperado em uma princesa que isso me deixou desconfortável. Não há um par romântico porque a história realmente não necessita, ou somente para provar que a Kelsea não é bonita?

Com relação a diagramação a Suma de Letras pecou um pouco na fonte utilizada no livro, ficou muito pequena e eu optei em ler A Rainha de Tearling em e-book. A narrativa é densa e a fonte pequena não ajuda. Já a capa parece uma unanimidade, a estrangeira é bem mais bonita. A narrativa é em terceira pessoa, e mesmo não sendo minha narrativa preferida não senti aquele distanciamento presente nesse estilo.

A Rainha de Tearling apresenta uma história complexa, com muitos personagens secundários e histórias paralelas, e por ser o primeiro livro da trilogia e ter que apresentar todo o mundo criado e seus personagens tende a ter uma narrativa mais lenta em determinados momentos, mas no contexto geral é uma trama com um conteúdo inovador com personagens marcantes, que me deixou com muita vontade de ler os próximos livros. Se você é fã de fantasia já pode colocar A Rainha de Tearling na sua wishlist, vale a pena!

“ - Consigo matar qualquer um neste reino. Sou mais perigoso que os mort, mais perigoso que os Caden. Roubei muitas coisas do regente, e seu pescoço já esteve sob minha lâmina. Eu poderia tê-la matado inúmeras vezes, se não tivesse de esperar.
- Esperar o quê?
- Esperar você, rainha tear.”


19 comentários:

  1. Olá, depois de ver que não há um triangulo amoroso fiquei anda mais curioso para ler, pois já estou cansado dessas "distopias mais do mesmo", deve ser estranho tentar imaginar um mundo distópico e medieval, mas a autora criou algo inovador e com certeza os próximos livros serão tão excelentes quanto este. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Achei interessante a autora trazer em sua trama uma personagem que é totalmente fora dos padrões das mocinhas convencionais, tanto no quesito físico, quanto na personalidade. Se para quem curte fantasias esse livro é uma excelente pedida, tenho certeza de que irei gostar.
    Bjos, Patty!

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito de como essa história parece. Estou vendo muitos elogios e apelos desesperados pra que a editora lance logo o próximo, haha! xD
    A história parece ser um tanto diferente e gostei bastante de como ela parece envolver o leitor, mesmo com uma narrativa mais lenta. Achei legal que não tenha romance também. Fica diferente né, tem tantos livros no estilo que focam em romance e acabam perdendo um pouco da essência da coisa toda, de toda a graça que poderia ter se focasse no mundo apresentado, nos problemas e em como os personagens vão resolver as coisas e etc...Acho que abre espaço para mais.
    Quero só ver como é. Acho que vou gostar bastante ^^

    ResponderExcluir
  4. Ainda não conhecia esse livro, mas achei a premissa dele bem interessante, principalmente, pelos seus elogios. Achei bem legal a história se passar em um mundo novo e futurístico ao nosso. Eu estava torcendo para a editora manter as capas originais, essa não é feia, de forma alguma, mas as originais são lindas!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Patty, já lido a sinopse de A Rainha de Tearling e achado interessante, mas confesso que a fonte pequena e a ausência de um par me fizeram "frear" um pouco a urgência da leitura e acho que vou esperar os próximos lançamentos, ver como a história se desenrola pra depois decidir se leio ou não :D Contudo gostei de saber que o livro pode virar filme e ainda ser protagonizado pela Emma :)

    ResponderExcluir
  6. Oi Patty, tudo bem?
    Antes de mais nada queria dizer que achei essa edição um arraso total. Adorei a fonte escolhida para o título do livro. Super ousada a escolha da autora em criar uma fantasia medial em um futuro distópico. Acho que mesmo se eu não tivesse lido resenha nenhuma sobre a obra, minha curiosidade para conferir como seria isso na íntegra, me faria ler o livro. Já quero ler e fiquei animada pela riqueza de detalhes que parece ter na construção da trama.
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  7. Oi Patty
    É a primeira resenha que leio deste livro e achei bem diferente.
    Realmente é bem complicado imaginar um futuro distópico onde não existe mais tecnologia. Mas com certeza é bem criativo e intrigante.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oii! Já li alguns comentários sobre o livro, parece q o enredo é bem bacana, espero conseguir conhecer em breve.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Quando soube desse lançamento logo fiquei bem interessada nesse livro e lendo a resenha achei esse mundo que a autora cria diferente e curioso, com certeza ficamos na expectativa de saber mais, também gostei do enrendo, mas esse livro me surpreendeu por não temos um romance, acho que nunca cheguei a ler um livro nesse estilo sem romance, o que me deixou curiosa para poder ler !!

    ResponderExcluir
  10. Fantasia, mistério, tô dentro. Temos uma guerreira que irá lutar para ajudar o seu povo. Vamos ver o que terá que enfrentar para conseguir seu objetivo. Interessante...

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    por ler essa pequena resenha, fiquei tão curiosa para ler ainda mas com essa historia bem diferente...como dever ser uma civilização sem tecnologia, deve ser bem esquisita!

    ResponderExcluir
  12. Oi Patty,
    Apesar de ser uma devoradora de fantasia, confesso que nunca tinha lido uma premissa como esta. A autora se arriscou e criou um história diferente e bem interessante. O fato de não ter muitas explicações neste primeiro livro, pode deixar o leitor um pouco perdido, mas vale lembrar que é uma trilogia e a autora não poderia colocar todas as informação em um único livro. O livro não ter romance não me incomoda, acho até que nesta trama (ao menos inicialmente) ele é dispensável, pois Kelsea tem muitas coisas com que lidar e um envolvimento amoroso serviria, somente, para desfocar o enredo e a jornada da protagonista. Espero que a editora publique a sequencia logo e assim poderei fazer a leitura.

    ResponderExcluir
  13. Patty!
    O que achei mais interessante é ver uma distopia, no futuro, com tanta precariedade que o torna medieval, deve ser uma mistura muito boa de se ler.
    E tomara que os outros livros da série cheguem logo ao Brasil.
    “Compreender que há outros pontos de vista é o início da sabedoria.” (Campbell)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  14. Aff, detesto quando a fonte é muito pequena. Isso faz com que a leitura pareça arrastada, sei lá. E seria legal se você colocasse a capa original pra gente comparar :)
    Não sabia que esse livro fazia parte de uma trilogia, achei que fosse livro único, agora o jeito é esperar os próximos serem lançados pra me jogar nele, pois também não tenho fluência suficiente pra encarar um em inglês.
    Ao contrário de você, não vejo problema em não ter romance :) na verdade o que vejo muitas vezes é que os autores "enfiam" romance onde nem deveria ter, sei lá. Vamos ver o que vou achar quando enfim lê-lo

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Ainda não conhecia esse livro, mas achei a premissa dele bem interessante. Achei bem interessante se passar em um mundo novo e futurístico ao nosso. O único problema é que, diferente de você, não consegui gostar dessa capa, achei ela feia rs.

    ResponderExcluir
  16. Oi Patty.
    Pelo pouco que descreveu conseguir ver o porque do começo ter sido tão confuso, gostei da premissa o fato dela quebrar os poucos os padrões de beleza me intrigou mas fiquei relutante com o fato de que a autora passou uma imagem que aparentemente não era 100% verdade, adoro essa capa e não vejo a hora de ler.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  17. Fiquei louca para ler esse livro, já tinha visto a capa dele em algum lugar, mas não conhecia a história.

    ResponderExcluir
  18. AMOO distopias principalmente envolvendo princesas, com certeza vai pra minha listinha <3

    ResponderExcluir
  19. Oi, Patty!!
    Adorei a resenha acho que essa foi a resenha mais completa que já li sobre esse livro!! E sem dúvida vou colocar A Rainha de Tearling na minha wishlist!!
    Beijoss

    ResponderExcluir

Comente, ficarei muito feliz em saber sua opinião!!!