Resenha #414 Time Humanos - Justine Larbalestier & Sarah Rees Brennan - Galera Record

Título: Time Humanos
Autor (a): Justine Larbalestier & Sarah Rees Brennan
Editora: Galera Record
Ano: 2017|Páginas: 352

- Recebido em parceria com a editora.

Comprar: Amazon |Submarino |Saraiva
Sinopse: A história ideal para quem ama ou odeia livros de vampiros. Mel nunca gostou de vampiros. A ideia de se transformar em alguém que não está nem vivo, nem morto lhe dá calafrios. Vampiros perdem a capacidade de sorrir, param de ter sentimentos.... Isso sem falar que durante a transformação, se as coisas derem errado, você se torna um zumbi. E aí eles matam você. É um risco grande demais! Quando a melhor amiga de Mel, Cathy, e Francis Duvaney se apaixonam, a garota fica apavorada. Francis é arrogante, formal, metido a esperto e esplêndido demais. Ora, vivo aquele vampiro não está. E quando começa a suspeitar de que Francis está usando Cathy num plano que não tem nada a ver com amor, Mel passa a dedicar seus dias a desvendar a verdade por trás do vampiro, a fazer sua amiga enxergar que aquele é um amor sem futuro, sem jeito, abominável..., mas talvez, quem sabe, ela esteja sendo um pouco preconceituosa...

O livro contêm 42 capítulos e é narrado em primeira pessoa por Melanie, uma adolescente de 17 anos de idade que mora em New Whitby, no Maine, considerada A cidade dos vampiros.

“Francis era gelado também. Não como um cubo de gelo, mas tipo água em temperatura ambiente. Não era normal. As pessoas deviam ter 36 graus, não 22.
Dei um sorriso radiante ao estranho e frio Francis, juntei minhas mãos e disse:
— Dá para acreditar que o verão já acabou? Levanta a mão quem vai sentir falta do sol!” 


Melanie leva uma vida tranquila, com seus pais, seu irmão mais novo Lancelot e sua irmã mais velha Kristin, que estuda moda em NY. Melanie tem três melhores amigos: Cathy, Anna e Ty.

O início do livro fala como é a cidade onde a protagonista mora, detalhando as suas peculiaridades sobre o local, já que é uma cidade considerada um refúgio para os vampiros.
“Muitos lugares foram fundados por pessoas que fugiam de alguma perseguição religiosa. New Whitby foi fundada por pessoas que fugiam da perseguição por serem mortos-vivos bebedores de sangue.”
Enquanto que a protagonista não é exatamente fã dos mortos vivos, Cathy é seu completo oposto. Cathy é totalmente fascinada por tudo relacionado a eles. Então quando Francis Duvarney se matricula na Craunston High, Cathy imediatamente se aproxima dele e isso causa certo desconforto na protagonista. 

Francis aparenta ter 17 anos de idade, mas é obviamente muito mais velho. A forma como ele fala, como age e até mesmo as dificuldades em entender algumas tiradas deixam claro que ele é “formal” demais.

Melanie é totalmente contra a aproximação de Cathy com Francis e deixa isso bem claro em alto e bom tom. Inclusive decide investigar o motivo do vampiro se matricular na escola. Quem iria querer passar pelo ensino médio quando não é necessário? 

Em paralelo, a vida de Anna não está sendo fácil. Seu pai, um psicólogo de um centro médico da cidade, abandonou a filha e a esposa, que é a diretora do colégio, para fugir com uma vampira que era sua paciente. E ainda por cima, terminou o casamento através de uma sms! 

Tanto Anna quanto sua mãe começa a agir de forma diferente e Melanie está disposta a ser uma boa amiga e apoiá-la. Porém, alguns acontecimentos peculiares começam a surgir, como uma invasão de ratos. 

Durante sua investigação, Melanie conhece Kit, um jovem de 17 anos que é humano, mas foi criado desde bebê por vampiros. Kit é a pessoa ideal para demonstrar para a protagonista que os vampiros não são os monstros que ela imagina que são.
“Não somos todos vampiros. E nem todos queremos ser. Quando nosso orientador vocacional pediu que fizéssemos uma lista de profissões que nos interessavam, vampiro não estava na minha.”
A trama tem de tudo um pouco. Romance, drama e um mistério. Os personagens são interessantes, mas a protagonista em si deixou um pouco a desejar. Existem alguns detalhes no enredo que não convenceram, mas no geral, a obra é uma leitura leve e divertida.



9 comentários:

  1. Acredito que esta seja uma obra infanto juvenil bastante divertida, e ainda tem uma mistura de vampiros com humanos, romance, dramas, e ainda suspense, além de diálogos bem divertidos. Ultimamente tenho gostado de leituras como esta, rápida, envolvente e cativante, a cada está linda, e fiquei completamente encantada.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Karini, assim que vi a capa desse lançamento achei interessante, gosto de histórias de vampiros e logo me interessei, assim gostei muito de ler essa primeira resenha dele, mas não fiquei exatamente animada com a leitura. Parece ser um livro bem voltado pros jovens e que tem muitos personagens e histórias paralelas e com a protagonista deixando um pouco a desejar acho que vou deixar pra decidir se quero ou não ler futuramente ;)

    ResponderExcluir
  3. Confesso que esse livro em si não me conquistou, e olha que gosto de livros de vampiros sabe? O último que li foi Labirinto de Espelhos.
    Mas a sinopse desse livro que você apresentou deixou a desejar, me passou ser um livro meio chatinho e infantil.
    Acho que a nota refletiu um pouco minha opinião ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Essa sinopse é meio peculiar, mas acho que passa o que a história é, algo leve e divertido.
    Eu não odeio vampiros como a Mel, mas eu nunca fui apaixonada por eles, para mim nunca foram as criaturas sobrenaturais mais interessantes e os livros que tentei ler os envolvendo, não funcionaram muito bem.
    Eu gostei bastante da resenha, mas não é um livro que me atraiu. Levando em conta que tenho milhares de outros para ler, mesmo gostando de livros divertidos, acho que não darei uma chance a ele por enquanto.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. O livro parece meio besta e sem sentido. Gosto muito de histórias de vampiros (the vampire diaries e the originals <3) Gosto muita dessa mescla de caráter que é construída nestas duas séries que citei.
    O livro em questão PARECE não ter isso, o que você passou na resenha é que é tentado mostrar que os vampiros NÃO são maus durante o livro, aí tu junta isso com uma adolescente fazendo "investigações" em prol das amiguinhas: o resultado COM CERTEZA não é bom kkkkkk, preciso nem ler pra saber.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Que livro interessante, tem uma fantasia super diferente, já que muitos livros mostra o vampiro sob a sombra. Nesse, me deixou super curiosa,Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  7. Olá, além da capa maravilhosa, a autora consegue fazer uma crítica ao tratar de preconceitos com vampiros, algo inteligente e ousado. Espero ler a obra em breve, beijos.

    ResponderExcluir
  8. Tenho um certo preconceito com livros de vampiros, sim. kk Mas as vezes eu dou alguma chance.

    http://www.ollyspoiler.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Primeira resenha que leio sobre o livro, e confesso que sua historia em nada me chamou a atenção, não curto muito livros com vampiros e tals. Creio que seja uma historia divertida e leve, achei um charme a capa dela, mas realmente este tipo de historia não gosto mesmo. Acho que ainda não li nenhum livro com este tema que me agradou.

    ResponderExcluir

Comente, ficarei muito feliz em saber sua opinião!!!