Resenha #415 - Victoria e o Patife - Meg Cabot - Galera Record

Título: Victoria e o Patife
Autor (a): Meg Cabot
Editora: Galera Record
Ano: 2017
Páginas: 254

- Recebido em parceria com a editora.

Comprar: Amazon |Submarino |Saraiva

Sinopse: Criada pelos tios na Índia, ela é enviada a Londres aos 16 anos para conseguir um marido. Mas é na longa viagem até a Inglaterra que a jovem encontra o amor, na figura de Hugo Rothschild, o nono Conde de Malfrey. Tudo estaria ótimo se não fosse a insuportável interferência do capitão do navio, Jacob Carstairs. Por que ele não pode confiar na escolha de Victoria? Por que ele não a deixa em paz? Estaria Hugo escondendo algo?




Primeiro livro de romance de época da Meg Cabot que eu não curti tanto.
Não sei se foi a personagem nova demais e, na minha opinião, bastante mimada e esnobe ou o enredo bem fraco, mas posso dizer com toda segurança que Victoria e o Patife não é o melhor livro da Meg nesse gênero. E olha que todos os livros dela que já li desse gênero publicados aqui no Brasil, são excelentes.

Victoria foi criada pelos tios na Índia, porém, eles a enviam pra Londres já que agora com 16 anos está na idade ideal para conseguir um marido. Na longa viagem para a Inglaterra a jovem encontra o amor na forma de Hugo Rothschild, o nono Conde de Malfrey. Tudo seria perfeito senão fosse o Capitão Jacob Castairs. Por algum motivo, Jacob parece sempre aparecer para acabar com a felicidade da jovem.

Por que ele insiste em dizer que Hugo não é boa pessoa? E por que ele não a deixa em paz?

O livro é bem teen. Não tenho outra palavra pra explicar a não ser essa. Não consegui me sentir em uma história de romance de época. Parecia que eu estava lendo um dos livros teens da Meg. A protagonista é totalmente mimada e chata, mesmo ainda tendo a característica principal de todas as mocinhas de romances de época que é seu pensamento a frente de seu tempo, mas nem isso conseguiu salvar a protagonista.

Já o nosso mocinho é apenas um cara que até agora me pergunto por que ele se encantou por Victoria, já que não mostra o Capitão Castairs descobrindo seu amor por Victoria, ele simplesmente já aparece encantado ela jovem a protegendo de todas as formas de Hugo. Isso ficou um pouco forçado pra mim.

Fiquei desapontada com esse livro, principalmente vindo de uma autora que gosto bastante. No todo, eu recomendo você a ler esse livro apenas como um passatempo sem esperar grande coisa da leitura, apenas um entretenimento e nada mais.




8 comentários:

  1. Oi Beta, já li alguns livros de época dessa autora e gostei bastante, assim é triste que todas as resenhas que vejo desse livro livro destaquem os mesmos problemas e o principal deles sendo a personalidade da protagonista meio irritante, me deixa com o pé atrás pra leitura. Acho a capa bem fofa e devo querer ler em algum momento pra tirar minhas conclusões, mas como tem outros lançamentos que tem mais chances de eu gostar, a leitura desse deve demorar *__*

    ResponderExcluir
  2. Parei de gostar dos livros da Meg tem um tempo... rs
    Os livros dela são sempre bem teens e disso eu até gosto, ainda leio uns romances mais fofos e inocentes, porém os dela realmente não desce mais. As personagens costumam ser muito bobonas e inconsequentes. Não consigo me relacionar e assim também não me apego a história.
    Mesmo aquela série do Tamanho 42 Não é Gorda que a personagem não é tão novinha, é muita chata e imatura; Não desce! Não consegui nem terminar o livro.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi beta, você não pé a primeira que não curte tanto esse livro. A personagem vem sendo bastante criticada por seu comportamento e confesso que, apesar de amar romances de época, não vou fazer essa leitura.
    Não gostei de nada que as resenhas trouxeram, percebo que é apenas um livro bem infantil e superficial. Uma pena! Abraços

    ResponderExcluir
  4. Nossa, não esperava isso de Victoria e o Patife. Falam super bem dos romances de época da Meg Cabot, então quando vi esse lançamento fiquei super curiosa, mas agora acho melhor abaixar as expectativas.
    Uma pena que Victoria não seja uma protagonista muito cativante. Não tenho paciência para personagens/pessoas mimadas, então acho que posso me frustrar com essa personalidade dela e o instalove que rola no livro.
    Acho que para a minha primeira leitura da autora esse livro não seria a melhor indicação.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Olá, a Meg quis ousar ao mudar de gênero mas esqueceu de tirar as protagonistas teens do meio, mas só por ser algo diferente do que a autora costuma fazer a leitura vale a pena. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Nunca tive contato com a escrita desta autora, mas sempre vejo muitos elogios a respeito de suas obras, e esperava ver coisas boas a respeito deste livro, e fiquei um pouco decepcionada, e ao mesmo tempo feliz, com vontade de lê-lo. Gosto de romance de época, e livros juvenis, mas lidar com uma personagem mimada, e metida, e algo bem complicado. Irei dar uma chance a esta obra, mas como você disse sem esperar muitos acontecimentos.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Já li alguns da autora que amei, mas tem outros que nem tive muita vontade. Esse foi um deles. Achei interessante, mas a história já me pareceu jovem demais só de ver a sinopse. Não sei se iria curtir tanto assim também. A protagonista parece ser meio irritante viu...
    Não acho que seja tão legal assim pra minha idade, mas pra quem é mais novo ou quer ler como passatempo pode ser bom.

    ResponderExcluir
  8. Sempre vejo falando mesmo que esse livro não é lá grandes coisas, mas ainda quero ler por ser da Meg.

    http://www.ollyspoiler.blogspot.com

    ResponderExcluir

Comente, ficarei muito feliz em saber sua opinião!!!