Resenha #487 - Batman Criaturas da Noite - Marie Lu - Arqueiro


Título: Batman Criaturas da Noite
Autor (a): Marie Lu
Editora: Arqueiro
Ano: 2018|Páginas: 256

- Recebido em parceria com a editora

Sinopse: As criaturas da noite estão caçando a elite de Gotham. Bruce Wayne é o seu novo alvo.
Bruce Wayne está prestes a completar 18 anos e herdar a fortuna de sua família, além do controle das indústrias Wayne. No entanto, no dia do seu aniversário, ele faz uma escolha impulsiva e é condenado a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham, uma mescla de prisão e hospital psiquiátrico onde estão detidos os criminosos mais desequilibrados da cidade.
á ele conhece Madeleine, integrante das Criaturas da Noite, um grupo radical que deseja acabar com a elite de Gotham. Até então, a moça se recusava a confessar seus crimes ou informar à polícia os futuros ataques que planejavam, mas ela resolve se abrir para Bruce Wayne, dando início a um perigoso jogo de sedução e inteligência.
Será que o jovem Wayne vai conseguir convencê-la a revelar todos os seus segredos ou ela está apenas manipulando-o para arruinar Gotham? Enquanto o golpe final das Criaturas da Noite se aproxima, Bruce percebe que não é tão diferente de Madeleine. E, mesmo longe de se tornar o Cavaleiro das Trevas, precisará provar que está preparado para deter uma das maiores ameaças que Gotham já presenciou.

Batman Criaturas da Noite faz parte da série Lendas da DC, que contará com quatro volumes, todos escritos por autores que fazem sucesso na atualidade. Batman Criaturas da Noite é escrito pela autora Marie Lu, que também escreveu as séries Legend, Jovens de Elite e Warcross. O primeiro livro publicado no Brasil foi Mulher Maravilha Sementes da Guerra escrito por Leigh Bardugo. A série ainda contará com as histórias da Mulher Gato escrita por Sarah J.Maas e Superman escrita por Matt de La Peña.

Batman Criaturas da Noite, como os outros livros da série, tem a proposta de reescrever as histórias desses personagens, e nos mostrar algumas situações que contribuíram para que eles se tornassem lendas, nesse segundo volume conheceremos Bruce Wayne antes se se tornar o Batman, prestes a completar seus 18 anos e se tornar o líder das Indústrias Wayne.

Para quem já leu tudo sobre o Batman pode se sentir desconfortável com o papel que a Marie Lu desenvolveu para o Alfred, aqui esse personagem tão icônico, é nada mais nada menos que um mero babá. Ele é o guardião de Bruce e o auxilia nas tomadas de decisão, mas confesso que achei o personagem meio apagado, longe de ser o braço direito de Bruce.

Bruce é um jovem inteligente, rebelde e muito impulsivo, conseguimos perceber traços bem brandos do que virá a ser sua personalidade quando adulto, ele já possui uma natureza sombria para um jovem de apenas 18 anos, fato altamente justificado, afinal ele cresceu sob os holofotes aguentando por anos manchetes sobre si e os pais, que foram assassinados tornando Bruce a única testemunha.

Sua impulsividade acaba o levando a se intrometer em uma perseguição policial, e mesmo conseguindo efetuar o trabalho da policia, ele é punido e sentenciado a prestar serviços comunitários no Asilo Arkham, uma mescla de prisão e hospital psiquiátrico. E é nesse asilo que Bruce conhece a Madeleine, uma integrante do grupo radical Criaturas da Noite, que tem como objetivo eliminar os ricos, poderosos e corruptos de Gotham e a partir daí que trama se desenvolve no livro. Bruce é usado para fazer com que Madeleine fale sobre as Criaturas da Noite, ao se aproximar dela Bruce não consegue enxergar a assassina fria e cruel que venderam pra ele, será que ela esta sendo acusada injustamente ou na realidade tudo não passa de um jogo psicológico?

Eu me surpreendi com a história, não achei que a Marie Lu tenha criado nada fora de série, mas a história em si convence. Gostei de conhecer um Bruce Wayne "menos quebrado", tentando criar relacionamentos verdadeiros em um universo onde está cercado por relacionamentos movidos por interesses. O livro é bem curtinho e muito rápido de ler, a narrativa da Marie Lu é muito leve e fluída, que é um ponto super positivo, é um livro bem simples, pode não agradar os fãs do herói, por ser uma releitura, para essas pessoas eu sugiro que entrem na história de mente aberta.

Agora estou ansiosa pra ler Mulher Gato e descobrir com o que Sarah J.Maas vai nos brindar.






Nenhum comentário

Comente, ficarei muito feliz em saber sua opinião!!!